12/05/21
PUBLICIDADE
Confira

Pix poderá se tornar identidade digital, afirma Campos Neto

Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, afirmou que o Pix, serviço de pagamentos instantâneos brasileiro, poderá evoluir para outras funcionalidades e eventualmente se tornar uma espécie de identidade digital.


"A gente entende que pode expandir isso [o Pix] para melhorar ainda mais a qualidade de vida das pessoas com serviços públicos e eventualmente até se tornando uma identidade digital, como foi feito na Índia", disse durante evento virtual promovido pela Embaixada da Índia nesta quarta-feira (14).

"O projeto pode ter outras dimensões. Temos desenvolvido novas funcionalidades no Pix que vêm da interação com a sociedade, de entender as demandas. Podemos expandir a plataforma para ter maior ganho de eficiência", completou.

O BC não detalhou como seria a identidade digital vinculada ao Pix e se poderia substituir o documento oficial.

Segundo ele, rápida adesão das pessoas ao sistema de pagamentos instantâneos foi uma surpresa.

"Esperávamos algo como 20 milhões em seis meses e isso foi feito em poucos dias. Hoje temos 206 milhões de chaves [no Pix]", disse.

Campos Neto ressaltou ainda que a digitalização pode tornar serviços públicos mais eficientes e menos burocráticos.

Para Campos Neto, o movimento começou nos meios de pagamentos, mas pode evoluir para novos modelos de negócios e para a prestação de serviços, inclusive públicos.
"Isso pode evoluir para ser um modelo de prestação de serviços do governo, no qual se presta mais serviços de forma digital, mais barata e com menos burocracia. As pessoas podem contratar serviços, abrir contras, pedir recursos e outras coisas do dia a dia", avaliou.

Ele pontuou também a autoridade ainda acerta "pequenos detalhes" de como será a moeda digital brasileira. Estão em discussão, destacou, se ela será remunerada e rastreável, bem como se o BC será o único emissor.

Campos Neto falou que tem conversado com autoridades monetárias de outros países e que deve haver coordenação entre os bancos centrais.

O presidente do BC defendeu que o open banking, ou sistema financeiro aberto, possibilitará aos clientes receber ofertas de produtos e serviços mais adequados ao seu perfil e mais baratos. Além disso, a ferramenta abrirá caminho para novos modelos de negócio dentro do sistema financeiro.

O open Banking está em implementação no Brasil desde o início deste ano e vai permitir que o consumidor compartilhe seus dados e escolha produtos financeiros mais vantajosos em uma única plataforma.

Mais tarde, em evento promovido pelo Itaú BBA, o diretor de Regulação do BC, Otavio Damaso, afirmou que considera o processo de open banking inevitável. "Quem ainda não fez o movimento eventualmente vai ter que fazer e, talvez, com atraso, o que pode ser prejudicial", frisou.
Larissa Garcia - Folhapress
PUBLICIDADE
Continue lendo
Recomendação da Anvisa

Saúde suspende vacinação com o imunizante da AstraZeneca em gestantes

11 MAI 2021 às 18h35
Operações violentas

Polícia pode entrar em casas para perseguir fugitivo, mas só se tiver indícios

11 MAI 2021 às 17h45
Representatividade

Maringá organiza live de enfrentamento à LGBTFOBIA na próxima segunda (17)

11 MAI 2021 às 17h14
Desligamento Incentivado

Telefônica e sindicatos negociam desligamento de funcionários da Vikstar em Londrina

11 MAI 2021 às 16h55
Após tragédia em SC

Vereadora propõe criação de programa de defesa pessoal para os professores de Londrina

11 MAI 2021 às 16h21
CPI da Covid

Presidente da Anvisa confirma que Saúde sabia que máscaras distribuídas eram impróprias

11 MAI 2021 às 16h08
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados