Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Vacinação em massa

América do Sul em alerta regional contra aftosa

Redação - Folha de Londrina
26 jul 2003 às 13:33
Continua depois da publicidade

As autoridades de sete países da América do Sul reunidas na Bolívia declararam neste sábado um alerta regional contra a febre aftosa, diante do novo surto da doença que atinge a região.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A decisão foi tomada durante um encontro de autoridades pecuárias de Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai, Uruguai, Chile e Peru, realizado na cidade de Santa Cruz de la Sierra.

Continua depois da publicidade


O alerta foi motivado pela ''emergência sanitária por febre aftosa na Bolívia e no Paraguai, além de um alerta na Argentina'', destaca uma nota emitida durante a reunião.


O encontro, que reuniu de forma urgente os ministros da Pecuária da região, destacou ainda ''a importância da luta regional contra este flagelo, que deve ser encarada como uma guerra inadiável contra um inimigo comum''.


O plano de contingência estabelece uma ''estratégia de vacinação em massa'', com a supervisão do Comitê Veterinário Permanente do Conselho Agropecuário do Sul, assinala o documento.

Continua depois da publicidade


Os ministros também concordaram em ''realizar gestões junto aos organismos internacionais para obter o financiamento imediato do plano'' de vacinação do gado nas zonas mais afetadas.


O grupo renovou ainda seu compromisso de avançar no cumprimento da meta de ''erradicar a febre aftosa do continente antes de 2009, destacando a importância de uma efetiva participação do setor privado'' neste objetivo.


A agenda de emergência destaca ainda ''a importância da coordenação regional (..) na estratégia de erradicação da febre aftosa'', que inclui ''controle, treinamento, formação profissional, esquemas de vigilância epidemiológica, provisão e reserva estratégica de vacinas, e sistemas de informação''.


O recente registro de 15 casos de aftosa em Pozo Hondo, no Paraguai, a apenas 3 km da fronteira com a Argentina e a 7 km da Bolívia, provocou a imediata reação dos demais países da região, que lançaram o alerta sanitário para proteger suas exportações do produto.


A Bolívia suspendeu na semana passada, por três meses, as importações de gado proveniente de Paraguai e Argentina, após o surgimento de um foco de aftosa na região de Chuquisaca, no sudeste boliviano, na fronteira com os dois países.


A Argentina também suspendeu o intercâmbio de gado com Bolívia e Paraguai na tentativa de não perder o certificado de país livre de aftosa com vacinação, obtido novamente em 10 de julho passado junto à Organização Internacional de Epizootias (OIE).

Fonte: France Presse


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade