Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Sem demanda suficiente

CCR Aeroportos descarta reativar alfândega no terminal em Londrina

Simoni Saris - Grupo Folha
09 mar 2023 às 11:47
- Gustavo Carneiro/Grupo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A CCR Aeroportos, que administra o Aeroporto Governador José Richa, de Londrina, não tem intenção, ao menos a curto e médio prazo, de voltar a alfandegar o Teca (Terminal de Cargas Aéreas). 


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

A afirmação é da gerente executiva de Cargas da empresa, Maria Fan, segundo a qual Londrina e região não têm demanda suficiente para manter uma estrutura alfandegária aeroportuária.

Leia mais:

Imagem de destaque
Faça sua inscrição gratuita!

Clube das Mães Unidas divulga a programação de cursos do mês de março

Imagem de destaque
Esporte tradicional

Primeira Copa Agroplay de futebol movimenta distritos de Londrina a partir de domingo

Imagem de destaque
Eventos gratuitos

Programação Especial Mulheres começa neste sábado no Sesc Cadeião Cultural

Imagem de destaque
Crianças de 10 e 11 anos

Dia D contra a dengue terá mutirão de vacina em shopping de Londrina


No final de fevereiro, atendendo a uma solicitação da própria CCR Aeroportos, a Receita Federal emitiu um Ato Declaratório retirando o status alfandegário do Teca em Londrina. 

Publicidade


A notícia mobilizou lideranças empresariais da cidade que lamentaram a decisão por entenderem que ter uma alfândega no município seria um meio de alavancar o comércio exterior e fortalecer a economia local.


Fan, no entanto, apresentou números que comprovam a baixa demanda pelos serviços ofertados pelo Teca em Londrina. Ela apurou que de 2015 para 2020, último ano de atividades do Teca, a movimentação de cargas sofreu um recuo significativo, caindo de 1,4 mil toneladas para pouco mais de uma tonelada mensal. 

Publicidade


No último ano antes da pandemia, em 2019, foram apenas seis toneladas. Ainda conforme o levantamento, nenhuma exportação passou pelo Teca desde 2015. “Nunca houve uma demanda real de carga aérea chegando.”


"Não tem demanda”, concluiu. De acordo com a gerente executiva, 90% das transações de importação realizadas por empresas de Londrina são feitas pelo Porto de Paranaguá. 

Publicidade


“As perspectivas nossas no curto e médio prazo não nos dão nenhuma forma para defender ou reabrir o Teca”, disse Fan, ressaltando no entanto que a decisão “não é irreversível”.


“Falamos com os antigos clientes, pegamos na base de dados da Infraero quem eram os importadores. O maior era uma indústria de couros que não importa mais. Essa empresa era responsável por 50% do volume, mas tiveram muitos problemas sanitários.”


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
CCR Aeroportos descarta reativar alfândega no terminal em Londrina
CCR descarta reativar alfândega aeroportuária em Londrina
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade