Pesquisar

Canais

Serviços

Em uma das localidades, num fundo de vale na zona sul, os autores do incêndio atearam fogo novamente - Arquivo/Folha de Londrina
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Falta de consciência

Quatro incêndios movimentam bombeiros em Londrina

Loriane Comeli - Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A falta de consciência de alguns fez com que os bombeiros de Londrina atendessem quatro ocorrências de incêndios ambientais na cidade entre meio-dia e vinte e 15h30 desta quarta-feira (25). O número é alto, se consideradas as ocorrências registradas durante o primeiro trimestre deste ano. Entre janeiro e hoje, os Bombeiros atenderam 91 casos, o que dá uma média de quase um incêndio ambiental por dia.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Hoje, às 12h20, os bombeiros foram acionados para conter o fogo em um fundo de vale do Jardim Nemam Sahyum, na zona sul de Londrina. "Fomos chamados, apagamos o fogo, e logo depois precisamos voltar, porque alguém ateou fogo novamente", disse o sargento Valmir Alexandre.

Continua depois da publicidade


Às 13h07, o chamado para um incêndio que consumia o mato em um terreno baldio no Parque Universidade, próximo da Universidade Estadual de Londrina, região oeste de Londrina. Pouco depois, às 14h34, havia um incêndio em um terreno da Rua Antônio Vizitação Lopes Rúbio, Jardim Tarobá, na zona sul.


Passado pouco mais de uma hora, às 15h50 houve um incêndio no Conjunto João Paz, próximo do Colégio Estadual Olímpia Moraes Tormenta, na zona norte. Em nenhuma das ocorrências houve feridos.


"Normalmente as pessoas colocam fogo em terrenos baldios para queimar mato ou lixo que elas mesmas depositam. Há falta de consciência, pois o fogo pode se alastrar para casas e ferir pessoas", explicou o sargento Alexandre.

Continua depois da publicidade

Esses pequenos focos de incêndio atrapalham as atividades do Corpo de Bombeiros, pois no mesmo momento que alguém ateia fogo em um terreno baldio, uma empresa ou a casa de uma família pode estar incendiando. "Em caso de incêndio, o tempo é fundamental, porque se atrasamos, uma casa de madeira pode ser consumida", disse. "As pessoas não pensam nisso, na poluição que causam e na água que gastamos para apagar esse focos".


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade