Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Nos locais de prova

Movimento estudantil faz boicote ao Enade

Redação Bonde
11 nov 2007 às 17:54
Leandro Cerqueira, da União Nacional dos Estudantes (UNE), prega boicote entre alunos que compareceram para fazer o Enade - José Cruz/ABr
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Dois grupos dividiram a atenção de alunos que fizeram neste domingo o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Para incentivar o boicote à prova, integrantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e outras instituições estudantis escolheram alguns colégios para fazer um corpo-a-corpo, pedindo que os alunos assinassem a prova e a entregassem em branco.

De outro lado, incentivando os estudantes a fazer uma boa prova, professores e representantes de universidades e faculdades distribuíam canetas, água, refrigerante e aproveitavam para dar as últimas dicas.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A diretora da UNE Luana Bonone garante que a entidade não é contra a realização da prova, mas quer que seja aplicada em conjunto com as outras medidas aprovadas pelo Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes). "O problema é que o Enade foi implementado com muita velocidade e os outros instrumentos ainda não", disse a estudante, que foi defender a causa em frente a um colégio de Brasília.

Leia mais:

Imagem de destaque
Varíola dos macacos

Organização Mundial da Saúde alerta para variante mais perigosa de mpox

Imagem de destaque
Saiba mais

Fragmento ósseo sugere que crianças neandertais teriam síndrome de Down

Imagem de destaque
Mais importante

Adélia Prado vence o prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa

Imagem de destaque
Juan José Zúñiga

General golpista na Bolívia é preso e acusa presidente de ter preparado autogolpe


Luana alega que o resultado da prova promove um ranqueamento cuja única finalidade é o marketing das instituições. "Tanto que tem universidade em São Paulo e no país inteiro que oferece prêmio em dinheiro, descontos e outras vantagens para o aluno que for bem na prova. Isso falseia o resultado", avalia.

Publicidade


Já os representantes das universidades garantem que os movimentos estudantis estão equivocados. "Nós já recebemos visita do MEC [Ministério da Educação]. Eles avaliaram a organização administrativa do curso, a infra-estrutura, o corpo docente, e outros aspectos", conta Paulo Ribeiro, coordenador da Faculdade de Zootecnia do instituto de ensino superior União Pioneira de Integração Social (Upis), de Brasília.


Professores avaliaram como positiva a aplicação da prova e se disseram contra o boicote. "Se ficarem simplesmente boicotando em vez de melhorar o sistema, a gente não chega a lugar nenhum. É melhor ter uma avaliação que não seja perfeita do que não ter nenhuma", defendeu o professor Marcelo Alcântara, da Faculdade de Educação Física da Universidade Católica de Brasília.


Com base em resultados do Enade, o MEC promete avaliar a partir desta semana 60 cursos de direito.

O Enade de hoje vai avaliar 3.454 cursos de 16 áreas de conhecimento. Através da prova, o MEC obtém dados sobre o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos, suas habilidades e competências. Quem não comparece fica impedido de retirar o diploma de conclusão do curso. Por isso, a UNE prega que os alunos estejam presentes, mas entreguem a prova em branco.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade