Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Fique atento!

Na Semana do Consumidor, advogada alerta sobre direitos e deveres na hora da compra

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
12 mar 2024 às 13:15
- Reprodução/Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A cada ano que passa, o dia 15 de março se consolida como uma importante data de promoções no comércio. É que se comemora o Dia do Consumidor, em referência a um discurso de 1962 do então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, um dos primeiros sobre o assunto. 


Entretanto, no Brasil, a data tem se transformado em um dos períodos mais comerciais para o varejo, o que acende um alerta em relação às promoções e vantagens. É o que aponta a especialista em direito do consumidor, Larissa Nishimura. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


“Neste ano, o dia 15 de março cai numa sexta-feira. Mas, muitas lojas e muitos varejos começam a oferecer descontos e vantagens bem antes. Por isso, é preciso estar atento para ver se, de fato, as promoções são reais ou se não elevaram os preços anteriormente para, depois, oferecerem os descontos”, alerta Nishimura, que é advogada do Escritório Batistute Advogados. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Crystal

Como funciona o Cirque du Soleil, que leva espetáculo de gelo ao Rio e a São Paulo

Imagem de destaque
"Criança não é mãe"

Londrinenses protestam no Calçadão contra PL sobre aborto

Imagem de destaque
Proibido em 21 países

Saiba como é a legislação sobre aborto ao redor do mundo

Imagem de destaque
Loteria acumulada

Mega-Sena sorteia R$ 47 milhões neste sábado


De acordo com a especialista, grandes redes consolidam a data, aproveitada por pequenas e médias marcas. Amazon e Mercado Livre, por exemplo, já iniciaram as promoções no dia 11 de março.

Publicidade


Nishimura explica que, mais do que realizar promoções e descontos, o Dia do Consumidor, transformado em Semana do Consumidor pelo varejo, deve vir junto de campanhas educativas, de conscientização sobre os direitos e deveres, além das responsabilidades na relação consumerista. 


Imagem
Facebook e Instagram promovem anúncios misóginos e tóxicos, diz relatório
Anúncios presentes nas plataformas da Meta promovem golpes, misoginia e reforçam estereótipos de gênero, apontam um levantamento realizado pelo NetLab


“A maior propaganda de uma loja não é aquela que oferece o maior desconto, mas, a que trata o consumidor com respeito. Por isso, é importante realizar promoções, mas, acima de tudo, respeitar direitos básicos do consumidor. O contrário também é verdade, já que o consumidor também tem, além de direitos, muitas responsabilidades”, ressalta a advogada. 

Publicidade


Entre os direitos do consumidor, a especialista no assunto aponta direito à segurança (garantia contra produtos ou serviços), direito à escolha, direito à informação, direito a ser ouvido, direito à indenização e à educação para o consumo. 


Entretanto, também há deveres, entre eles, o de se informar sobre as condições de mercado e preços dos produtos e serviços, estar atento aos termos do contrato e condições de compra, além de ter responsabilidade no uso do crédito ofertado pelo comércio. 


“Se consumidores e varejistas tiverem cada qual suas responsabilidades, a relação consumerista será de muito equilíbrio”, finaliza Nishimura.


Imagem
6 em cada 10 jovens fora da escola voltariam a estudar se tivessem ensino noturno
Dos 9,8 milhões de jovens brasileiros de 14 a 29 anos que estão fora da escola sem ter concluído a educação básica, 62% dizem que voltariam a estudar se tivessem a opção de ter aulas no período noturno.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade