Pesquisar

Canais

Serviços

- Rovena Rosa - Agência Brasil
Continua depois da publicidade
Entenda

Câmara de Londrina rejeita tramitação de projeto que derruba 'muralha' dos postos

Rafael Machado - Grupo Folha
22 jun 2022 às 09:36
Continua depois da publicidade

A Câmara Municipal de Londrina não aprovou nesta terça-feira (21) a tramitação do projeto do prefeito Marcelo Belinati (PP) que acaba com regras de distanciamento entre postos de combustíveis e outros estabelecimentos, como hospitais, postos de saúde e escolas. 

Continua depois da publicidade


LEIA MAIS: Feriado do Padroeiro: Londrina terá comércio aberto


Dos 19 vereadores, 15 votaram para que a proposta não tramitasse. Matheus Thum (PP), Fernando Madureira (PP) e Flávia Cabral (PTB) queriam que o texto avançasse nas comissões do Legislativo. Nantes (PP) não votou. 


Com a decisão, a matéria volta para Belinati, que pode reapresentá-la em agosto, após o fim do recesso parlamentar. O Executivo batizou como "muralha" a exigência da distância de 104 metros dos postos para diferentes tipos de estabelecimento. A determinação contida no Código de Posturas existe desde 2011. 


Em entrevista coletiva no início do mês, o prefeito defendeu a iniciativa. Afirmou que o fim do distanciamento "restabelece a livre concorrência" e que "a atual legislação praticamente impede a construção de novos postos". Com novos empreendimentos deste segmento, Belinati chegou a dizer que os preços dos combustíveis até poderiam cair. 

Continua depois da publicidade


O argumento foi criticado por empresários do ramo, que acompanharam a sessão nas galerias da Câmara. "Duvido que o valor da gasolina ou do etanol vai cair se mais postos forem abertos. É só pegar a tabela da ANP (Agência Nacional do Petróleo) e confirmar que os preços praticados em Londrina são os mais baixos da região", disse o presidente da Paranapetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná), Claudio Monaco. 


Continue lendo na Folha de Londrina.

Compartilhar nas redes:

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade