Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Investigação

De Curitiba, Lula depõe como testemunha de defesa de Cabral

Agência Estado
05 jun 2018 às 10:28
- Reprodução
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, presta depoimento nesta terça-feira, 5, como testemunha de defesa do ex-governador fluminense Sérgio Cabral (MDB). Preso desde novembro de 2016, Cabral é acusado, entre outros crimes, de liderar organização criminosa que teria desviado até R$ 1 bilhão entre 2007 e 2014.

O depoimento, dado ao juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio, está marcado para começar às 10h, por videoconferência. É a primeira fala pública do ex-presidente, preso em Curitiba desde 7 de abril pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena é de 12 anos e um mês de prisão.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O ex-presidente vai ser testemunha em uma ação que investiga propinas para membros do Comitê Olímpico Internacional favorecerem a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016, em detrimento de cidades como Madri, Tóquio e Chicago.

Leia mais:

Imagem de destaque
Insanidade

Críticas à omissão do governo em PL Antiaborto por Estupro fazem Lula mudar de discurso

Imagem de destaque
Entenda

Empreiteiras recusam proposta sobre multas da Lava Jato, e governo Lula tenta novo acordo

Imagem de destaque
Comunicações

Ministro de Lula pede ao STF trancamento de inquérito após ser indiciado pela PF

Imagem de destaque
Câmara

Bancada evangélica quer definição de relator do PL antiaborto, e esquerda, adiar discussão


Relembre


Preso desde novembro de 2016, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB) é acusado de coordenar uma organização criminosa que atuou em setores como transportes, saúde e obras em seus dois mandatos como governador (2007-2014) e movimentou mais de R$ 1 bilhão em propinas, segundo a Procuradoria da República.

Em 30 de maio, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmou a condenação do ex-governador e manteve a pena em 14 anos e 2 meses, sendo essa a primeira condenação em 2.ª instância do emedebista. A defesa de Cabral diz que vai recorrer nas Cortes de Brasília.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade