Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Caso Marielle Franco

Deputados se recusam a relatar caso contra Brazão no Conselho de Ética

Agência Brasil
17 abr 2024 às 16:21
- Agência Câmara/Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Os deputados federais Ricardo Ayres (Republicanos-TO), Bruno Ganem (Podemos-SP) e Gabriel Mota (Republicanos-RR) informaram, nesta quarta-feira (17), que desistiram de relatar o processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados contra o deputado Chiquinho Brazão (Sem partido-RJ), preso e acusado de ser mandante do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, em 2018.


“[A lista tríplice] não vingou, digamos assim, é porque suas excelências retiraram os nomes, declinaram da nobilíssima função, que alguns consideram arriscada, não sei porquê”, destacou o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), que presidiu o colegiado na sessão de hoje.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Bruno Ganem informou que não poderia relatar o caso por causa das tarefas de pré-candidatura para as eleições municipais de outubro deste ano. Por sua vez, o deputado Ricardo Ayres disse que desistiu por já ter sido escolhido para relatar outro processo por quebra de decoro parlamentar. Já Gabriel Mota não justificou a recusa. O processo contra Brazão pode levar à cassação do mandato do parlamentar, que está preso na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS).  

Leia mais:

Imagem de destaque
PL em tramitação

Câmara aprova projeto que censura crianças e adolescentes em parada LGBTQIA+ em Londrina

Imagem de destaque
Em entrevista

Moro elogia Pacheco, agradece a Bolsonaro e vê voto veemente de Moraes no TSE

Imagem de destaque
Saiba mais

Câmara aprova texto-base de projeto que mira MST e veta benefícios sociais a invasores de propriedade

Imagem de destaque
Cenário político paranaense

Assembleia Legislativa aprova em segunda votação projetos que reestruturam o quadro de funcionários


Na última quarta-feira (10), o plenário da Câmara votou por manter a prisão de Brazão com 277 votos contra 129 e 28 abstenções. Ayres e Ganem votaram para manter a prisão de Brazão e Mota não compareceu à votação.


Com a desistência dos parlamentares, foram sorteados novos nomes: as deputadas Jack Rocha (PT- ES), Rosângela Reis (PL-MG) e o deputado Joseildo Ramos (PT-BA). Desses, apenas Rosângela votou pela libertação de Brazão. Agora, caberá ao presidente do Conselho de Ética, o deputado Leur Lomanto Júnior (União/BA), escolher um nome da nova lista sorteada. 


O deputado que presidia a sessão, Chico Alencar, disse esperar que, agora, possa sair um nome para relatar o caso. “Roguemos, mandemos energias para que ninguém decline”, disse o deputado, acrescentando que “a gente tem a convicção de que esses não declinarão da tarefa”.



Publicidade

Últimas notícias

Publicidade