Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Negando a crise

Energia é suficiente para abastecer o país até 2012

Agência Brasil
07 nov 2007 às 17:36
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou nesta quarta-feira (7) a existência de uma crise energética no país. Segundo ele, há energia suficiente para abastecer o país até 2012. Lula minimizou a falta de gás natural no Rio de Janeiro e em São Paulo e garantiu que, se for preciso, o país descobrirá outras reservas ou importará o combustível.

"Este país está sólido, e é preciso vocês (empresários) acreditarem que não vai ter crise energética, que as indústrias podem crescer. O que não falta, na verdade, é gente para botar defeito", afirmou o presidente, na abertura do 5º Encontro Nacional do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), no Palácio do Planalto.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


O presidente minimizou a decisão da Petrobras de reduzir o fornecimento de gás para distribuidoras do Rio de Janeiro. "Aconteceu um probleminha de gás no Rio de Janeiro, acabou a energia do mundo. Não acabou. Este país tem energia garantida até 2012", disse ele. "Vamos descobrir o gás que precisamos descobrir ou vamos comprar o gás que precisar comprar", complementou, lembrando que no próximo mês ocorrerá leilão das usinas hidrelétricas do Rio Madeira, em Rondônia.

Leia mais:

Imagem de destaque
Por convocação de servidores

MP recomenda suspender convenção partidária para reeleição em Bandeirantes

Imagem de destaque
Começa neste sábado

Convenção do PT dá a largada para a corrida eleitoral em Londrina

Imagem de destaque
Aumento do limite

Campanha para prefeito terá teto de R$ 2,3 milhões em Londrina

Imagem de destaque
Jogo virou?

Relembre frases de J.D. Vance, hoje vice de Trump, contra o ex-presidente

No fim de outubro, a Petrobras limitou a entrega de gás natural nos estados do Rio e de São Paulo. A estatal alegou que, há mais de um ano, as empresas retiravam combustível além do previsto nos contratos e que a redução da entrega era necessária para atender aos demais contratos e garantir a geração de energia elétrica das usinas a gás natural, conforme termo de compromisso assinado pela estatal com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em maio deste ano.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade