Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
"Onde está meu filho?"

Mãe de vítima emociona na Comissão da Verdade

Agência Estado
01 jun 2012 às 20:59
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Elzita Santa Cruz, 98 anos, representante dos mortos e desaparecidos no período da ditadura militar, deu o tom de emoção à instalação da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Hélder Câmara, na tarde desta sexta, nos jardins do Palácio do Campo das Princesas. "Onde está meu filho?" perguntou ela, que aguarda uma resposta há 38 anos, desde o desaparecimento de Fernando Santa Cruz, sequestrado no dia 23 de fevereiro de 1974, no Rio de Janeiro.

A solenidade contou com a presença do ex-governador, senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) - que está em processo de reaproximação com o governador Eduardo Campos (PSB) - da presidente da Comissão Parlamentar da Memória e da Verdade, Luiza Erundina, e do membro da Comissão nacional da Verdade, José Paulo Cavalcanti.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


O arcebispo e Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, também prestigiou a instalação da comissão estadual, que deverá ter como um dos focos prioritários de trabalho a investigação do assassinato do padre Antonio Henrique Pereira Neto, em 1969. Auxiliar de Dom Hélder Câmara, padre Henrique foi seqüestrado, torturado e morto pelo Comando de Caça aos Comunistas (CCC). Nenhum dos acusados pelo crime foi condenado, apesar de provas e testemunhos. O pedido de investigação será feito por Saburido.

Leia mais:

Imagem de destaque
Confira

Restrições a candidatos nas eleições de 2024 entram em vigor a partir deste sábado

Imagem de destaque
Caso das joias sauditas

Polícia Federal entrega ao Supremo relatório que indiciou Bolsonaro

Imagem de destaque
Na inglaterra

Enfermeira é condenada pela 15ª vez à prisão perpétua por matar bebês prematuros

Imagem de destaque
Auxílio para os estudantes

Lula sanciona política de bolsas para alunos de universidades federais, mas valores são incógnita

"É fundamental contar às novas gerações o que ocorreu para fortalecer democracia", disse o governador Eduardo Campos (PSB). "Não é tempo de revanche, mas de contar a verdade". Segundo ele, a comissão estadual vai atuar em sintonia com a comissão nacional.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade