Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Peculato

Ministério Público denuncia ex-chefe de gabinete de Richa

Redação Bonde
27 nov 2007 às 10:25
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Ministério Público (MP) do Paraná propôs ação civil pública e denúncia criminal contra Ezequias Moreira Rodrigues, ex-chefe de gabinete do prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB). Rodrigues é suspeito de receber os salários de sua sogra, funcionária fantasma da Assembléia Legislativa.

De acordo com o MP, a contratação irregular da sogra de Rodrigues teria onerado os cofres públicos em cerca de R$ 540 mil. Ezequias Rodrigues pediu afastamento do cargo em agosto e atualmente está como assessor da prefeitura na área do Turismo.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público de Curitiba pede a condenação de Rodrigues por ato de improbidade administrativa e peculato (quando funcionário público se apropria de valor ou bem em proveito próprio ou alheio). A Assembléia investigou o caso e pediu a devolução do dinheiro.

Leia mais:

Imagem de destaque
Redes sociais

Lula diz que big techs lucram com disseminação do ódio e que vai retomar debate sobre regulação

Imagem de destaque
Entenda

Alta de tributo para compensar desoneração continua na mesa, diz Padilha após resistência do Senado

Imagem de destaque
Após muita discussão

Projeto de Lei que permite sepultamento de pets em cemitérios de Londrina é protocolado

Imagem de destaque
Na SRP

Londrina: Ministro da Pesca e Aquicultura destaca potencial do Norte do Paraná na piscicultura


O MP o acusa de ter utilizado indevidamente o nome da sogra, Verônica Durau, para a prática de desvio de dinheiro público. As provas colhidas durante a investigação pelo MP indicam que, apesar de constar da folha de pagamento da Assembléia, como funcionária comissionada, Verônica nunca trabalhou na Casa e sequer sabia que constava formalmente como servidora pública. O esquema teria causado a um rombo de R$ 539.414,59 nos cofres públicos.

Publicidade


A direção da Assembléia confirmou que Verônica de fato esteve lotada no Legislativo (de 1996 a 2001) no gabinete do então deputado Beto Richa, e de 2001 a 2007 na diretoria-geral adjunta da Casa.


A FOLHA não conseguiu contato com Ezequias Rodrigues na prefeitura ontem, nem com sua defesa para comentar a ação do MP.

Folha de Londrina


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade