Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Partido de Roberto Jefferson

'O PTB, infelizmente, acabou', diz ex-presidente do partido no Paraná

Simoni Saris - Grupo Folha de Londrina
25 out 2022 às 11:57
- Roberto Custodio
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Em fevereiro de 2021, o ex-deputado federal Alex Canziani anunciou que deixaria a presidência do PTB no Paraná e que se desvincularia do partido ao qual foi filiado por quase 30 anos e no qual construiu grande parte de sua carreira política. Canziani, no entanto, não saiu em silêncio e teceu duras críticas aos rumos que a legenda vinha tomando em razão das decisões do presidente da executiva nacional do PTB, Roberto Jefferson. Na época, o ex-parlamentar londrinense disse que o partido estaria “virando uma seita” e condenou o “radicalismo absurdo”.

 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Quatro meses mais tarde, a filha de Canziani, a deputada federal Luisa Canziani, acionou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para se desfiliar do PTB, partido pelo qual se elegeu e que representava na Câmara Federal. A iniciativa foi tomada depois que Jefferson manifestou a intenção de expulsar a deputada da sigla.

Leia mais:

Imagem de destaque
Indicado por Lula

Flávio Dino toma posse como ministro do STF nesta quinta-feira

Imagem de destaque
'não é um político tradicional'

Haddad afirma que fala de Lula sobre Gaza foi grito de socorro

Imagem de destaque
Manifestação na Av. Paulista

Bolsonaro pode ser preso se incitar crime durante ato no domingo na avenida Paulista

Imagem de destaque
Tentativa de golpe

Bolsonaro tem novas derrotas no STF ao tentar afastar Moraes de inquérito e ser dispensado de ir à PF


O presidente do PTB acusou Luisa Canziani de ter gravado secretamente uma reunião com o então ministro da Educação, Milton Ribeiro, para exibição em um programa da TV Globo. Na ocasião, Luisa negou a acusação e antes que o processo de expulsão do partido iniciasse, ela decidiu pela desfiliação.

Publicidade


Além dos Canziani, outras lideranças políticas no Paraná também decidiram deixar o PTB no ano passado, descontentes com a guinada ideológica do partido promovida por Jefferson, um ferrenho defensor do presidente Jair Bolsonaro (PL).


Neste final de semana, ao ter a prisão domiciliar revogada após descumprimento da medida cautelar que o mantinha em casa, Roberto Jefferson efetuou disparos e atirou granadas contra agentes da Polícia Federal que foram até a casa dele, no interior do Rio de Janeiro, para cumprirem mandado de prisão.

Publicidade


Embora impedido pela Justiça de utilizar as redes sociais, o petebista havia divulgado na internet, na sexta-feira (21), um vídeo em que fazia críticas de forma vulgar, machista, misógina e criminosa à ministra Carmen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal).


Destempero

Publicidade


Alex Canziani disse que esperava que Jefferson voltasse à prisão em razão de suas atitudes, mas não imaginava o tamanho do destempero do petebista. “Até comentei com um amigo em comum, após ver o vídeo no qual ele se referia à ministra, que o Roberto seria preso. Mas não esperava que ele fosse fazer aquilo”, disse o ex-deputado. “Ele não está bem da cabeça de um tempo para cá.”


Presidente Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, fala à imprensa após reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil)

Publicidade

Presidente Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, fala à imprensa após reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil) |  Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

 

“O partido e o Roberto se perderam cada vez mais. Ele, inclusive, falava que ia criar o maior partido do Ocidente e eu dizia que ele ia acabar com o partido. Infelizmente, o partido acabou”, avaliou Canziani.


Continue lendo na Folha de Londrina

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade