Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Violência desmedida

Outro jovem é morto a tiros ao reagir a assalto

Simone Albieri - Redação Bonde
23 out 2009 às 21:17
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Outro jovem foi morto ao reagir a um assalto durante a madrugada desta sexta-feira (23), em Curitiba. Na quinta-feira havia sido Jorge Guilherme Marinho Martins, de 26 anos, filho do coronel Jorge Martins, comandante geral do Corpo de Bombeiros do Paraná, e hoje foi Diego dos Santos Vieria Xisto, 22. Os crimes foram cometidos na mesma ocasião, a caminho de casa, na companhia das namoradas.

Diego havia saído de um bar e voltava para casa com a companheira, quando foi surpreendido por dois bandidos armados, em uma ciclovia, durante esta madrugada. As marcas de sague no chão revelam a violência sofrida.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com depoimentos da namorada de Diego à polícia, os assaltantes queriam dinheiro e o jovem disse que não tinha. Um dos bandidos ficou nervoso e chegou a apontar a arma para ela. O rapaz regiu, entrou em luta corporal com o criminoso e foi morto com dois tiros.

Leia mais:

Imagem de destaque
Relações internacionais

De Lula 1 a Lula 3, Brasil busca cavar espaço global em tensão com os EUA

Imagem de destaque
Quarta-feira

Julgamento em Londrina que pode cassar Mara Boca Aberta será dia 29

Imagem de destaque
R$ 30 mil

TSE multa Flávio, Zambelli e outros bolsonaristas por associar Lula a satanismo

Imagem de destaque
Segurança pública

Câmara aprova PL que reajusta salários e prevê alta de 27% a delegados da PF


Já o jovem Jorge Guilherme foi assasinado quanto deixava a namorada em casa, no bairro Boqueirão. Os bandidos queriam o carro. Segundo testemunhas, houve discussão e os assaltantes atiraram em Jorge, que morreu na hora. A namora ficou ferida.

Publicidade


Enterro de Jorge


No enterro de Jorge, muita tristeza. Parentes, amigos, policiais, políticos e bombeiros compareceram ao velório. Durante a homenagem feita ao rapaz vítima da criminalidade, pétalas de flores foram jogadas de um helicóptero. Centenas de pessoas participaram.


O sepultamento foi pouco antes das 11 horas, no Cemitério Municipal Água Verde. O trânsito ficou prejudicado nas proximidades por conta do grande número de veículos que chegavam ao local.

Nos dois crimes, as familias aguardam por justiça. Elas querem os responsáveis presos e respondendo pelos crimes que cometeram.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade