Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ação do MP

Prefeita teria usado carro oficial para ir à faculdade

Redação Bonde com MP/PR
22 jun 2012 às 16:28
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Promotoria de Justiça do Patrimônio Público de Campo Mourão propôs ação civil pública pelo ato de improbidade administrativa contra a prefeita de Farol e a secretária da saúde do município.

Segundo a Promotoria, a prefeita Dirnei de Fátima Gandolfi Cardoso teria utilizado veículos oficiais para fins particulares, como ir à faculdade. A Promotoria verificou também o emplacamento de veículos com as letras ADC - Administração Dina Cardoso -, o que caracterizaria ato de promoção pessoal com bens públicos. Além disso, veículos do município possuem números com a data de nascimento da prefeita. Conforme informou o Detran/PR à Promotoria do Patrimônio Público, as letras e números das placas dos veículos foram escolhidas mediante o pagamento de uma taxa de R$ 150,00.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


A Promotoria também relatou na ação outro caso de improbidade, desta vez envolvendo a secretária da Saúde de Farol, por ir a um salão de beleza localizado em Campo Mourão, distante vinte quilômetros, com o veículo da Secretaria da saúde de Farol. Segundo a Promotoria de Farol, a situação foi flagrada por policiais militares e dois promotores de Justiça.

Leia mais:

Imagem de destaque
Veja as seis praças

Prefeito de Cambé sanciona lei que proíbe consumo de bebidas alcoólicas em praças públicas

Imagem de destaque
Tentativa de homicídio

Lula diz que violência é abominável, mas Trump vai tentar tirar proveito de atentado

Imagem de destaque
Transparência

Tribunal de Justiça rejeita pedido para omitir gratificações pagas a juízes do Paraná

Imagem de destaque
Redes sociais

Lula diz que big techs lucram com disseminação do ódio e que vai retomar debate sobre regulação

O MP-PR pede à Justiça, liminarmente, que o município altere as placas que fazem menção à administração, sendo que os custos deverão ser pagos pela prefeita. Em caso de não cumprimento da liminar, a prefeita deverá pagar multa diária. Pede ainda a condenação da gestora e da secretária ao ressarcimento ao patrimônio público, além da suspensão dos direitos políticos, perda da função e pagamento de multa cível.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade