Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
De 25% para 27,12%

Prefeitura de Londrina protocola substitutivo e votação do aumento salarial da Guarda Municipal é adiada

Douglas Kuspiosz - Folha de Londrina
13 jun 2024 às 20:22
- Emerson Dias/N.Com
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A discussão dos dois projetos de lei que aumentam a remuneração da GM (Guarda Municipal) foi adiada para terça-feira (18). A Prefeitura de Londrina protocolou um substitutivo ao PL 111/2024 e o líder do governo, vereador Eduardo Tominaga (PP), pediu a retirada de pauta do PL 112/2024 até a próxima sessão. As comissões de Justiça, de Finanças, de Administração e de Segurança Pública devem se manifestar sobre as propostas na segunda-feira (17).


O texto do substitutivo altera de 25% para 27,12% o aumento salarial para os agentes da GM, percentual previsto para ser pago nos meses de julho, setembro e novembro. A mudança ocorreu porque os percentuais serão calculados de forma composta. Também foi protocolada uma emenda ao substitutivo com uma correção redacional.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Já o texto do PL 112, que garante que os guardas progridam 34 níveis na tabela de remuneração, a princípio seguirá o mesmo. Segundo Tominaga, a retirada de pauta foi apenas para que os dois projetos sejam discutidos concomitantemente, já que o PL 111 ainda vai precisar de um novo parecer da Procuradoria Legislativa.

Leia mais:

Imagem de destaque
Tentativa de homicídio

Lula diz que violência é abominável, mas Trump vai tentar tirar proveito de atentado

Imagem de destaque
Transparência

Tribunal de Justiça rejeita pedido para omitir gratificações pagas a juízes do Paraná

Imagem de destaque
Redes sociais

Lula diz que big techs lucram com disseminação do ódio e que vai retomar debate sobre regulação

Imagem de destaque
Entenda

Alta de tributo para compensar desoneração continua na mesa, diz Padilha após resistência do Senado


Na justificativa do substitutivo, o Executivo defende que o aumento no salário é uma “reestruturação” da carreira e que isso não pode ser confundido como uma revisão geral, o que é vedado pela legislação eleitoral nos 180 dias que antecedem as eleições - e cita duas decisões da Justiça Eleitoral que são favoráveis à “revisão parcial” dos vencimentos.

Publicidade


“A reestruturação proposta pelo projeto de lei promoverá vantagem específica à carreira de guarda municipal com a finalidade de corrigir situação de injustiça e desvalorização profissional o que, frise-se, não caracteriza revisão geral”, acrescenta o Executivo.


A GM de Londrina foi criada em 2009, mas os profissionais só passaram a integrar o PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários) da Prefeitura em 2015, sendo que até hoje a tabela de vencimentos é equiparada à dos técnicos em gestão pública com ensino médio.

Publicidade


Nos pareceres jurídicos, a Procuradoria da Câmara elencou possível infração à legislação eleitoral como um problema, mas também citou irregularidades ligadas à LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), como a ausência da estimativa de impacto orçamentário-financeiro e a declaração de que as despesas estão adequadas ao orçamento deste ano.


A reportagem solicitou uma posição para o procurador-geral da Prefeitura e secretário de Governo, João Luiz Esteves, que afirmou que o estudo de impacto "está a cargo da Secretaria de Orçamento e Planejamento". Quanto ao questionamento da legislação eleitoral, ele disse que isso será tratado no voto de Tominaga na Comissão de Justiça.


LEIA A MATÉRIA COMPLETA NA FOLHA DE LONDRINA:

Imagem
Prefeitura manda substitutivo e votação do aumento salarial da GM é adiada
Novo texto altera para 27,12% a elevação salarial dos agentes; outro PL foi retirado de pauta até a próxima sessão
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade