Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
No Senado

Sarney põe em pauta PEC que acaba com voto secreto

Agência Estado
05 jun 2012 às 14:05
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O presidente do Senado, José Sarney, determinou nesta terça-feira que entrem na pauta do Senado, no dia 13, as propostas de emendas constitucionais (PECs) que terminam com o voto secreto no Congresso. Todas as três propostas estão prontas para votação há mais de dois anos, mas nunca entraram na pauta.

Duas das PECs preveem o fim do voto secreto apenas para os processos de cassação de parlamentares. Outra, a PEC 50, do senador Paulo Paim (PT-RS), institui o voto aberto em todas as situações, incluindo perda de mandato, de vetos presidenciais e indicação de autoridades.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


A discussão sobre o fim do voto secreto foi retomada com o processo de cassação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), acusado de envolvimento com o esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira. Cresce a suspeita de que, mesmo o Conselho de Ética aprovando a cassação, o resultado seja revertido no plenário, já que os senadores não são obrigados a mostrar como votaram. Nos últimos dias, alguns senadores, como Pedro Taques (PDT-MT) e Pedro Simon (PMDB-RS) cobraram a votação das PECs.

Leia mais:

Imagem de destaque
Na SRP

Londrina: Ministro da Pesca e Aquicultura destaca potencial do Norte do Paraná na piscicultura

Imagem de destaque
Anúncio nesta segunda

Donald Trump anuncia J.D. Vance como vice na disputa pela Casa Branca

Imagem de destaque
Como a facada

Aliados de Lula receiam fortalecimento da direita, e bolsonaristas tentam explorar atentado a Trump

Imagem de destaque
PR é o maior produtor de tilápia

Ministro da Pesca cumpre agenda em Londrina nesta segunda-feira

No entanto, a votação não terá efeito para o processo de Demóstenes. No dia 13, mesmo que aprovada, será ainda a primeira votação em plenário. Será preciso mais uma votação no Senado e duas na Câmara. Se os deputados fizerem alguma modificação, a proposta terá que ser novamente apreciada pelo Senado.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade