27/09/20
°/°
PUBLICIDADE
Não culpe o estresse

Dorme demais e está sempre cansado? Você pode ter hipersonia

Em meio à vida corrida e estressante, tão comum hoje em dia, é quase 'normal' que as pessoas se sintam cansadas e sonolentas em boa parte do dia. Mas para algumas delas a situação é ainda pior, pois as horas de dormidas não são reparadoras. Por mais que durmam por 8, 12 e até 15 horas seguidas, e tirem sonecas durante o dia, elas simplesmente continuam com sono. O cansaço é praticamente constante e ficar acordado pode ser um transtorno, já que a sonolência causa desânimo e inúmeros bocejos ao longo do dia. Pessoas assim lutam contra um distúrbio raro chamado hipersonia e podem pegar no sono a qualquer momento.

Segundo pesquisadores da Associação Espanhola de Narcolepsia e Hipersonia (AEN), na maioria dos casos, essas pessoas não têm dificuldade alguma para dormir, mas para elas o sono não acaba com o cansaço. Pacientes que sofrem de hipersonia apresentam sinais de privação do sono, como falta de energia para as atividades cotidianas e dificuldade de concentração e raciocínio. Também têm muita dificuldade para acordar e se levantar, além de se sentir permanentemente confuso e irritado. Outros efeitos desse distúrbio são fadiga, cansaço, perda de concentração e de memória. O agravante é que esses fatores acabam influenciando a autoestima, a vida social e a rotina de trabalho dos portadores do distúrbio.


De acordo com a Associação Americana de Sono (AAS), a hipersonia se assemelha à narcolepsia (condição neurológica de sono incontrolável) pelos sintomas, mas, enquanto muitos narcolépsicos têm problemas para dormir, quem sofre de hipersonia consegue dormir tranquilamente e até melhor do que a maioria das pessoas.

A hipersonia pode ser ocasionada por outros transtornos de sono e também por fatores genéticos – ou também pelo uso de certos medicamentos ou drogas. O distúrbio também pode aparecer em pessoas que têm fibromialgia (síndrome que provoca dores em todo o corpo) ou em pessoas que sofreram danos cerebrais.

Reprodução
Reprodução


Números da ASS mostram que esta é uma doença relativamente rara, que afeta 1% da população. É ligeiramente mais comum em mulheres do que em homens e normalmente só começa na idade adulta.

Tratamento

Normalmente, o distúrbio é tratado com estimulantes e anfetaminas – e às vezes com antidepressivos. No entanto, especialistas em distúrbios do sono dizem que uma 'higiene de sono' adequada é a mudança de conduta mais importante que deve ser implementada. Isso inclui estabelecer horários de sono regulares, ter um ambiente adequado para dormir e uma cama com travesseiros confortáveis, além de evitar a cafeína e outros estimulantes perto da hora de dormir.

Sensação de cansaço

Mas esses conselhos não parecem ter sido muito efetivos para Danielle Hulshizer. Ela sofre de hipersonia idiopática há anos e por isso está sempre cansada, ainda que durma a noite toda e ainda tenha cochilos durante o dia – o cansaço nunca desaparece. Ela conta que acorda tão cansada quanto estava ao dormir – mesmo depois de 12 horas contínuas de sono.

Como a maioria das pessoas, quando era mais nova Danielle atribuía o cansaço ao estresse e à agenda sempre lotada. Nunca pensou que pudesse ter um problema real, até que foi diagnosticada, anos depois, com hipersonia.

Tipos de hipersonia

Hipersonia recorrente: pouco frequente (apenas 200 casos são conhecidos). Acontece entre 1 e 10 vezes ao ano.

Hipersonia idiopática (ou primária) com sono prolongado: sonolência excessiva, constante e diária durante pelo menos três meses. O sono noturno se prolonga durante umas 12 ou 14 horas. E há grande dificuldade para acordar.

Hipersonia idiopática (ou primária) com sono reduzido: o sono dura entre 6 e 10 horas. Os pacientes podem ter dificuldade para acordar tanto do sono noturno, quanto para sestas.
Sono insuficiente induzido pelo comportamento: voluntário, mas não buscado diretamente, derivado de comportamentos que não permitem alcançar a quantidade de sono necessária para manter nível adequado de vigília e alerta.

Outros tipos de hipersonia: devido a doenças (doenças neurológicas ou transtornos metabólicos, entre outros); hipersonia secundária ocasionada pelo consumo de medicamentos ou drogas. (Com informações da BBC Brasil)


Redação Bonde
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Entenda
História antivacina vai de medo de virar gado a Osama Bin Laden
26 SET 2020 às 17h08
Absurdo
Casal denuncia grupos que incentivam necrofilia em redes sociais e WhatsApp
26 SET 2020 às 16h11
Anote já!
Transição capilar: 6 dicas preciosas para acelerar o crescimento dos fios
26 SET 2020 às 00h00
Dia Nacional do Rádio
Profissionais de rádio comemoram reinvenção em meio às novas tecnologias
25 SET 2020 às 15h38
Dia do Farmacêutico
Dia Internacional do Farmacêutico: Especialista orienta sobre os principais perigos da automedicação
25 SET 2020 às 10h58
Skincare
Que tal pensar na sua rotina de cuidados com a pele na primavera?
25 SET 2020 às 08h35
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados