Pesquisar

Canais

Serviços

Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Veja orientações

Fogos de artifício nas festas de fim de ano preocupam e exigem cuidado

Vitor Ogawa/Grupo FOLHA
21 dez 2021 às 09:05
Continua depois da publicidade

O advento das festas de fim de ano traz também a preocupação com o uso de fogos de artifício, já que acidentes com esse tipo de artefato são mais comuns nessa época do ano. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Embora não tenham sido registradas ocorrências do tipo em 2020, nesse período festivo, segundo o Corpo de Bombeiros, a retomada de algumas festas após um período de restrições decorrentes da pandemia de coronavírus pode voltar a gerar acidentes. 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Na noite do último sábado (18), um menino de seis anos ficou ferido após estourar uma bombinha em casa, um apartamento no Residencial Vista Bela, na zona norte de Londrina.


Segundo o Samu, a criança encontrou o objeto perdido na sala. Ele estava acompanhado do irmão, que dormia quando tudo aconteceu. 


O garoto teve ferimentos no tórax, rosto e reclamava de ardência nos olhos. Apesar do susto, foi encaminhado com queimaduras leves para o CTQ (Centro de Tratamento de Queimados) do HU (Hospital Universitário) de Londrina. 

Continua depois da publicidade


O capitão do 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Londrina, Rene Bortolassi de Oliveira, orienta que a utilização de fogos de artifícios seja acompanhada por um profissional específico, que é o chamado “blaster pirotécnico”. 


A carteira de habilitação para blaster pirotécnico no Paraná é emitida pela Polícia Civil. Para os fogos de artifício domésticos, ele reforçou que nas embalagens há orientações para a correta utilização.


Sobre um caso recente de um casamento em Bela Vista do Paraíso em que houve a queima de fogos de artifício e as chamas atingiram a vegetação, ele ressaltou que é preciso tomar cuidado e a orientação é de que se tenha uma equipe de bombeiros civis ou brigadistas devidamente equipados para combater esse tipo de intercorrência. 


Continue lendo na Folha de Londrina.


Continue lendo