Pesquisar

Canais

Serviços

Divulgação/Casp
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Veja como contribuir!

Campanha arrecada fundos para reformar Laboratório de Anatomia da UEL

Débora Mantovani - *estagiária
07 dez 2021 às 19:03
Continua depois da publicidade

Os estudantes membros do Casp (Centro Acadêmico Samuel Pessoa) do curso de Medicina da UEL (Universidade Estadual de Londrina) iniciaram em setembro deste ano uma campanha de vaquinha virtual para arrecadar fundos para a reforma do Laboratório de Anatomia da Universidade. Os estudantes esperam a contribuição principalmente de médicos de Londrina que se formaram pela instituição e de associações da categoria, mas toda ajuda é bem vinda. As doações podem ser feitas conforme especificado ao fim da matéria. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O chefe do Departamento de Anatomia do CCS (Centro de Ciências da Saúde), professor Eduardo Carlos Ferreira Tonani, explica que a última grande reforma feita no Laboratório foi em 1997. “Os alunos de Medicina usam o Laboratório 235 de forma mais intensa, pois é destinado ao curso. Eles passam muitas horas lá, seja para fazer dissecção de peças cadavéricas, seja para estudos práticos dirigidos, monitorias”, pontua. 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Alunos de outros cursos do CCS e do CCB (Centro de Ciências Biológicas) também têm acesso ao laboratório em ocasiões em que não está sendo usado pelo curso de Medicina. “À medida em que os alunos e professores começaram a perceber as condições em que estava o laboratório, começamos a conversar sobre uma possível reforma." 


A estudante de Medicina Amanda Savieto Pompeu, uma das integrantes do Casp, explica quais são os problemas que os alunos encontram no espaço. “Atualmente, o laboratório é precário - ele não possui divisão entre as salas de aula prática e teórica e não possui ar-condicionado. Como os cadáveres usados para estudo são conservados em formol (substância irritativa para as vias aéreas/ olhos e tóxica), em dias muito quentes, fica bastante difícil aproveitar as aulas”, afirma. “Isso porque o formol se espalha pelo ar e, para não o espalhar ainda mais, não podemos fazer uso de ventilador. Além disso, o uso de jaleco de manga comprida é imprescindível para participar das aulas”. 


“A primeira etapa da campanha é conseguir custear ar-condicionado. Mas pretendem também reformar paredes, colocar carteiras novas, fazer uma divisão e colocar um projetor para poderem ter aulas teóricas ali mesmo, rebaixamento de parede, de teto, para fazer divisórias entre parte prática e teórica”, explica a vice-chefe do departamento, Professora Dra. Célia Cristina Fornaziero. 

Continua depois da publicidade


Ela elogia a iniciativa e conta que a ideia para a campanha partiu diretamente dos estudantes. "Torcemos para que dê certo e para que, a partir daí, tenha uma mobilização para conseguirmos mais coisas para o departamento, também para o museu de anatomia, porque temos vários sonhos em relação à acessibilidade do museu”, exemplifica a docente. O valor estimado para a reforma é de R$ 36.207,00, e imagens de todo o planejamento podem ser acessadas neste endereço


Fornaziero comenta que muitos alunos já passaram mal por conta das condições tóxicas do formol, que é liberado no calor. E essa dificuldade de usar o laboratório em dias quentes pode ser prejudicial à formação dos futuros médicos, uma vez que as atividades feitas naquele espaço são fundamentais para o curso. 


Mariana Weinhardt Nieddermeyer, que também é estudante de Medicina e integrante do Casp, percebe a falta que o espaço fez para o ensino durante a pandemia, uma vez que as aulas presenciais da universidade só irão retornar a partir de 24 de janeiro. “Considero que o laboratório de anatomia é essencial para a formação dos estudantes, pois é nele que aprendemos na prática sobre o corpo humano. Falando como uma estudante que teve pouco acesso ao laboratório por causa da pandemia, vejo como a falta das práticas afeta a minha formação e dificulta o entendimento apenas com aulas teóricas. Nossos cursos dependem muito das atividades práticas para a formação adequada dos estudantes”, avalia. 


A aluna de Medicina Jaqueline dos Santos Andrade, que também é do Casp, explica que os estudantes tiveram a ideia de fazer uma vaquinha virtual a partir de exemplos do exterior. “Nos inspiramos em universidades internacionais, nas quais os ex alunos contribuem financeiramente com a universidade”, diz. 


Também estudante do curso e membro do Centro Acadêmico, Rafael Antonio Ramos conta que essa possibilidade já era cogitada há várias gestões do Casp, mas foi apenas em 2021 que a iniciativa tomou a forma atual. Ele comenta que as demais entidades do curso de Medicina (a Atlética, a bateria, o colegiado e residentes) apoiam a iniciativa e ajudam na divulgação da campanha. Inicialmente, os estudantes estimavam terminar a campanha em outubro, porém o prazo foi estendido para conseguirem a arrecadação mínima esperada, de R$ 36.207,00.


“Anatomia é uma matéria mais do que essencial para o médico”, avalia Rafael. “É a base do ensino de muitas outras matérias. Sem essa base, todo o aprendizado ao longo do curso inteiro é prejudicado. Então se tivermos aula num ambiente que favoreça mais o aprendizado, consequentemente conseguimos absorver melhor a matéria e reforçar nosso estudo de diversas outras matérias”.


Para contribuir, confira os dados da conta para depósito abaixo e acesse também o instagram e a página da campanha para ver os detalhes de como será feita a reforma!


Banco: 383 - Juno

Agência: 0001

Conta: 1000864814-7

Nome Completo: Centro Acadêmico Samuel Banrsley Pessoa

CPF/CNPJ: 78.012.473/0001-04

PIX: [email protected]


Continue lendo