Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Após bloqueio de orçamento

Godoy afirma que limite de recursos para universidades é temporário

- Marcelo Camargo/Agência Brasil
Pedro Peduzzi - Agência Brasil
06 out 2022 às 17:20
Publicidade
Publicidade

O ministro da Educação, Victor Godoy, disse nesta quinta-feira (6) que não procede a informação de que universidades e instituições de ensino federais teriam corte ou redução em seus orçamentos, conforme denunciado pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). Segundo o ministro, o que foi estabelecido pelo MEC foi apenas um “limite temporário para movimento e empenho” de recursos. Medida que, segundo o ministro, só valerá até novembro.


Governo bloqueia R$ 2,4 bilhões do orçamento do MEC

Publicidade
Publicidade


“O que aconteceu foi uma limitação da movimentação financeira. A gente distribuiu isso ao longo de outubro, novembro e dezembro. A gente chama isso de limitação de movimentação. Portanto não é corte nem redução do orçamento das universidades [e institutos] federais”, disse o ministro à TV Brasil.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Estudo aponta fatores de risco para demência precoce que vão além da genética

Imagem de destaque
AINDA DÁ TEMPO DE SE INSCREVER

Entenda como serão as provas do Concurso Nacional Unificado

Imagem de destaque
NÃO VAI TER AULA

UEL: atividades acadêmicas e administrativas serão suspensas no Carnaval

Imagem de destaque
PRORROGADO PARA 15 DE FEVEREIRO

Paraná: concurso público da Assembleia tem nova data de encerramento


A declaração foi em resposta à denúncia do conselho pleno da Andifes, de que “o novo corte de gastos na área de educação inviabilizaria o funcionamento das universidades”. A entidade, que representa os reitores das universidades federais, afirmou que o governo federal teria bloqueado R$ 763 milhões de recursos destinados às entidades.

Publicidade


“No âmbito do Ministério da Educação, o contingenciamento chega a R$ 2,399 bilhões (R$ 1,340 bilhão anunciado entre julho e agosto e R$ 1,059 bilhão agora, dia 30 de setembro)”, informou a Andifes.


Já o ministro disse que os recursos destinados às universidades tiveram aumento de 10%; e dos institutos, 20%. “São R$ 930 milhões a mais para garantir todas as atividades de universidades e institutos”, garantiu Godoy.


Ele explicou que, até a semana passada, havia um bloqueio de R$ 2 bilhões no orçamento do ministério. Esse bloqueio, então, foi reduzido para R$ 1,3 bilhão, o que, segundo o ministro, possibilitou a liberação de R$ 700 milhões.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade