Pesquisar

Canais

Serviços

Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Ano de início da pandemia

Matrículas na educação profissional federal quase dobraram em 2020

Redação Bonde com Agência Brasil
24 nov 2021 às 16:48
Continua depois da publicidade

O MEC (Ministério da Educação) apresentou na terça-feira (23) a nova edição da PNP (Plataforma Nilo Peçanha), com estatísticas e informações atualizadas sobre a rede federal de educação profissional, científica e tecnológica. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Os dados são referentes ao ano de 2020. Pelas informações, o número de matrículas em todas as unidades da rede, composta por 654 escolas e institutos federais, cresceu 47,3% entre 2019 e 2020, passando de 1.023.303 para 1.507.476 no total. 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O número de vagas disponíveis, que eram 496.333, em 2019, quase dobrou em 2020, com a oferta de 898.787, um aumento de 81%. O número de cursos atualmente oferecidos pela rede é de 10.878.

 

Criada em 2018, a Plataforma Nilo Peçanha é disponibilizada todos os anos com informações do ano anterior, com conteúdos de interesse de gestores, professores, pesquisadores e estudantes. 

Continua depois da publicidade


Por meio da ferramenta, é possível realizar acompanhamento, monitoramento, avaliação e divulgação dos dados acadêmicos, de gestão de pessoas e financeiros das instituições que compõem a rede federal, incluindo informações sobre número de matrículas, de servidores, além de indicadores de eficiência acadêmica e cursos ofertados pelas instituições.


"Essa plataforma é um ambiente virtual seguro, eficiente, e que todo ano trará renovação de conteúdo, estatística, que permitirão avaliar o desempenhos das instituições que compõem a rede federal", afirmou o ministro Milton Ribeiro, durante o lançamento da nova edição da ferramenta.


O nome da plataforma homenageia o sétimo presidente da história republicana do Brasil. Nilo Peçanha é considerado o patrono da educação profissional no Brasil porque durante o seu mandato, entre 1909 e 1910, criou a rede de Escolas de Aprendizes e Artífices, precursoras dos atuais Institutos Federais de Ensino Tecnológico e os Cefets (Centros Federais de Educação Tecnológica).

Continue lendo