Pesquisar

Canais

Serviços

- Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Parceria UEL-Prefeitura

Pesquisadores da UEL mapeiam segurança alimentar da educação municipal

Agência UEL de Notícias
04 jun 2020 às 11:27
Continua depois da publicidade

Professores e estudantes bolsistas do Nigep (Núcleo Interdisciplinar de Gestão Pública), da UEL (Universidade Estadual de Londrina), iniciaram esta semana uma ampla pesquisa sobre hábitos de higiene e segurança alimentar junto às famílias dos alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino de Londrina. O questionário - Pesquisa UEL - deverá ser respondido por uma parte dos 38 mil alunos que frequentam as 122 escolas municipais e que neste momento se encontram com atividades presenciais suspensas em virtude do isolamento social imposto pelo Coronavírus. A pesquisa busca levantar a real situação destas famílias frente às recomendações do Ministério da Saúde para a segurança alimentar, nessa época de pandemia.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

O questionário traz 60 questões sobre temas como infraestrutura da residência familiar, se há limpeza periódica da caixa d'água, hábitos de higiene e os cuidados para a desinfecção dos alimentos para evitar a proliferação do vírus. Segundo a coordenadora da pesquisa, professora Wilma Spinosa, do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos, esse mapeamento é consequência de um trabalho do Nigep sobre a melhoria da merenda escolar servida aos estudantes da rede municipal de ensino.

Continua depois da publicidade


Os pesquisadores já elaboraram um Manual de Boas Práticas e realizaram cursos de capacitação direcionados a servidores que atuam no setor de fiscalização de recebimento de alimentos. O objetivo é que as escolas e Centros de Educação Infantil tenham baixo risco sanitário quando se trata da merenda, fornecendo alimentação segura e de boa qualidade.


Como a merenda está suspensa, a Prefeitura de Londrina tem feito a doação de gêneros alimentícios a famílias dos alunos. Os pesquisadores entenderam que havia a necessidade de alertar e orientar essa parcela da população sobre a importância da higiene e dos cuidados sanitários para evitar não só o Coronavírus, mas outras doenças. De acordo com a coordenadora da pesquisa, esses cuidados têm impacto direto na redução de ocupação de leitos na rede pública.


A primeira ação da equipe foi produzir um material explicativo que foi distribuído juntamente com os alimentos. A partir dessa semana os pesquisadores enviaram os questionários às escolas com o objetivo de coletar as informações. "A propagação do vírus está associada diretamente aos hábitos de higiene", reforça a professora. Ela acredita que até a próxima sexta-feira a fase de coleta dessas informações deverá ser concluída.

Continua depois da publicidade


Apesar do universo da pesquisa ser grande, uma vez que a Rede Municipal reúne 38 mil estudantes, ela espera ter em mãos pelo menos 2,5 mil questionários, amostragem suficiente estatisticamente para extrapolar os dados. A partir dessas informações os pesquisadores poderão sugerir várias ações como, por exemplo, uma política pública para reforçar hábitos de higiene junto à população, reduzindo, consequentemente, infecções alimentares causadas por contaminação e que acabam muitas vezes sub notificadas no sistema de saúde.


Além da coordenadora da pesquisa, integram a equipe as estudantes de graduação e de pós-graduação Fernanda Bana, Carina Denis e Viviane Costa, do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos. Maria Gorete Vitiello e Maria Eduarda Garcia, do Departamento de Serviço Social, além da coordenadora do Nigep, professora Vera Suguihiro e da secretária municipal de educação de Londrina, Maria Tereza Pascoal de Moraes.


Convênio


O convênio mantido entre a UEL e a Prefeitura de Londrina, envolvendo o Nigep, resultou no desenvolvimento de vários projetos, que apontaram soluções e geraram o equivalente a R$ 16 milhões de economia de recursos públicos municipais. O convênio entre a UEL e a prefeitura foi assinado em maio de 2019 com o objetivo de apontar caminhos buscando a modernização de processos, implantação de novas tecnologias e a capacitação de servidores com foco na economicidade.

O programa de modernização prossegue até dezembro deste ano e envolve oito professores e 26 estudantes de graduação e pós-graduação bolsistas do Nigep. A equipe coordena nove projetos de acordo com áreas consideradas prioritárias como Folha de Pagamento, Modernização tecnológica, Plano de Carreiras, cargos e salários, Sistema de Compras Públicas, Gestão do Sistema de Compras da Saúde, Apoio Técnico ao Cadastro Mobiliário, Implantação do Sistema de Custos Municipais, Diagnóstico de Processos Administrativos da Secretaria de Obras e Segurança Alimentar - promoção de alimentação saudável na escola.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade