29/09/20
°/°
PUBLICIDADE
Obesidade infantil

Projeto de Fisioterapia da UENP atende crianças obesas e pacientes pós-operatórios

O período de isolamento social aumentou a preocupação de pesquisadores do curso de Fisioterapia da UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná) com a obesidade infantil. O projeto de extensão "Obesidade? Tô fora!", realizado desde 2014, acompanha presencialmente crianças com sobrepeso, mas nesse período de quarentena, o estimulo para regularidade de atividade física e alimentação saudável tem sido realizado pelas redes sociais.

Divulgação/UENP
Divulgação/<a href='/tags/uenp/' rel='noreferrer' target='_blank'>UENP</a>


A coordenadora do projeto, professora Berlis Ribeiro dos Santos Menossi, alerta que a obesidade infantil tende a aumentar nesse período por conta do sedentarismo. "Por meio das redes sociais, apresentamos medidas preventivas especialmente sobre o aumento da obesidade infantil que tende a ocorrer devido a esse tempo que as crianças permanecem em suas casas”, pontua.

A professora lembra que a obesidade infantil é uma doença inflamatória crônica, que pode levar a criança a desenvolver doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, diabetes, doenças renais, e até mesmo o câncer, aumentando a mortalidade na vida adulta, podendo causar ainda a baixa de autoestima. Ela acentua a necessidade de incentivar as crianças a realizarem atividade física durante esse período de quarentena.

"Um dos piores vilões para obesidade infantil é o sedentarismo. Por isso temos indicado alternativas de brincadeiras lúdicas que auxiliam em melhorar a aptidão física, a coordenação motora, incentiva a interação familiar e evita o sedentarismo. Elas devem ser realizadas substituindo o uso de eletrônicos, durante a semana e também aos finais de semana”, ressalta a professora.

ATENDIMENTO PÓS-OPERATÓRIO ON-LINE

Outro projeto coordenado pela professora Berlis Menossi tem elaborado, orientado e acompanhado a execução de tratamento em pacientes de Fisioterapia Ortopédica, Traumatológica e Desportiva em pós-operatório e/ou lesões ortopédicas e traumatológicas por meio de cartilhas, grupos de WhatsApp, vídeos, post, mensagens de voz e/ou ligações telefônicas.

A professora destaca que "a ação busca evitar sequelas irreversíveis principalmente em adolescentes em fase de crescimento e outros pacientes de pós-operatórios em geral, assim como o aumento de peso corporal, pelas comorbidades associadas ao sedentarismo, obesidade e sua mortalidade considerando seus agravantes na luta contra a Covid-19”, finaliza Berlis.

Os projetos são realizados por estudantes do GEPAFS (Grupo de Estudo e Pesquisa em Atividade Física e Saúde) e acadêmicos do terceiro ano de fisioterapia da disciplina de Fisioterapia Desportiva e Métodos e Técnica de Avaliação em Fisioterapia do Centro de Ciências da Saúde da UENP.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Aulas suspensas
Com nova rotina, campus da UEL muda paisagem e recebe animais silvestres
28 SET 2020 às 17h49
2º semestre de 2020
Inscrições para bolsas remanescentes do ProUni terminam quarta-feira
28 SET 2020 às 14h37
Ensino superior
Vestibular Unicamp tem recorde de candidatos de escola pública
28 SET 2020 às 14h24
Em visita ao IFPR
Em Londrina, ministro da Educação reafirma ser favorável ao retorno das aulas presenciais
27 SET 2020 às 17h47
Projeto
Universitários abordam a escolha da profissão para estudantes do ensino médio
24 SET 2020 às 17h34
Financiamento
Estudantes com Fies podem suspender pagamentos até o fim da pandemia
24 SET 2020 às 15h31
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados