Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
R$ 25 mil

Record é condenada por chamar inocente de bandido

Redação Bonde e TJ/RJ
04 jun 2009 às 14:01
- Arquivo Folha
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Rede Record de Televisão foi condenada a pagar uma indenização de R$ 25 mil por veicular uma matéria em que um inocente foi acusado de participação em assalto. A condenação ocorreu na 3ª Câmara Cível do Trbunal do Rio de Janeiro.

Durante a exibição da matéria, o apresentador do 'Rio de Janeiro no Ar' se precipitou e chamou Norberto Galva de 'bandido' e vagabundo'. Galva que no dia do assalto passava pelo local do crime e ao ouvir os gritos de socorro de uma senhora parou sua moto, foi rendido por uma mulher que o ameaçou com uma arma e o obrigou a fugir com ela do local.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade


Durante a perseguição policial os dois foram alvejados, sendo que Norberto foi levado para o hospital e em seguida preso por sete dias. O motociclista só foi solto após o Ministério Público comprovar que o ele nada tinha a ver com o assalto. Além de chamá-lo de 'vagabundo' e 'bandido', o apresentador do programa desejou que além da assaltante, Norberto também deveria ter morrido com os tiros.

Leia mais:

Imagem de destaque
Sobre racismo

Taís Araújo participa de debate em faculdade dos Estados Unidos

Imagem de destaque
Não apareceu

MC Kevinho é contratado para cantar em festa, mas chega após fim do evento

Imagem de destaque
18.º edição

Grammy Latino anuncia Ludmilla, Nando Reis e Tiago Iorc entre indicados

Imagem de destaque
Nos EUA

Artistas se apresentam em evento contra movimentos de extrema-direita

O relator do processo, desembargador Ronaldo Rocha Passos, destacou que "embora o reconhecimento do engano tenha vindo bem mais tarde, e o próprio Estado assim o fez como antes visto, não há dúvida de que todo o episódio deixou no autor profundas marcas que dificilmente serão apagadas e desequilíbrio psicológico, notadamente por conta da matéria sensacionalista que foi levada ao conhecimento público pela ré, por seu apresentador nada elegante no seu linguajar".


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade