Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Falência múltipla dos órgãos

Morre Ziraldo, criador do 'Menino Maluquinho' e mestre da literatura infantil, aos 91

Folhapress
06 abr 2024 às 17:15
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O cartunista Ziraldo, criador do célebre personagem "O Menino Maluquinho", morreu na tarde deste sábado (6), em sua casa no Rio de Janeiro, aos 91, de falência múltipla dos órgãos. A informação foi confirmada por Daniela Thomas, filha do artista.


Ziraldo teve uma carreira profícua e criou charges, cartuns, pinturas, cartazes, murais, histórias em quadrinhos, livros infantis e crônicas.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Além disso, transbordou o limite de uma folha de papel e virou um intelectual público disposto a distribuir opiniões para salvar o mundo. Sempre se considerou um "aspite", isto é, um assessor de palpites. Para evitar mal-entendidos, chegou a propor a adoção do ponto de ironia na língua portuguesa.

Leia mais:

Imagem de destaque
Nesta terça

Escritor e poeta gaúcho Fabrício Carpinejar faz palestra em Londrina

Imagem de destaque
Quinto volume

Autora de 'Jogos Vorazes' anuncia novo livro da saga para 2025; confira capa

Imagem de destaque
Renovação da fé

Confira seis livros católicos para ler no dia de Corpus Christi

Imagem de destaque
Literatura londrinense

Festa Literária de Londrina faz oficinas para escritores, editores e interessados em literatura

O humor de Ziraldo se expandiu na revista O Cruzeiro e ganhou expressão política a partir de 1963, no Jornal do Brasil.

Publicidade


No Jornal dos Sports, em 1967, Ziraldo editou o suplemento Cartum JS, revelando os novatos Henfil e Miguel Paiva. Criado em 1969, no vácuo do Ato Institucional nº 5, o AI-5, o semanário humorístico O Pasquim contribuiu para a transformação de Ziraldo em um artista popular.


Apesar das restrições da censura, o Pasquim descabelou seu estilo e fortaleceu sua oposição à ditadura militar. Ele sofreu três prisões nesse período.


O salto para a literatura infantil deu um rosto mais terno ao mineiro. A revista da turma do Pererê, editada entre 1960 e 1964, e os livros "Flicts", de 1969, e "O Menino Maluquinho", de 1980, viraram fenômenos editoriais.


"Ziraldo é um dos pilares do design brasileiro, praticante dessa forma polivalente de desenhar, que é fazer quadrinhos, cartum e charge. Nesse sentido, leva o troféu porque vários de nós fizemos as três coisas, mas nenhum fez com a profusão e a competência dele", afirmou em entrevista à Folha Laerte, que teve "o primeiro impacto de uma linguagem gráfica" ao ver uma capa da revista Pererê, em 1961.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade