18/01/21
PUBLICIDADE
'Crise, que Crise?'

Eva Wilma estreia como cantora em espetáculo

Ao conversar com Eva Wilma descobrem-se grandes momentos da história da dança e do teatro paulista. No entanto, faltava para a atriz de televisão e cinema ocupar o palco de um novo jeito. Nesta quinta-feira (2), Eva junta-se ao filho Johnnie Beat para cantar no show "Crise, que Crise?", no Teatro J. Safra, em São Paulo.

Ainda colhendo os resultados de "O Que Terá Acontecido a Baby Jane?" (2016), Eva conta que soltar a voz deveria ser algo muito natural para qualquer artista da interpretação, mesmo que o peso de se apresentar num show a inunde de certa ansiedade. "Exercitar a voz faz parte do trabalho de todo ator e toda atriz, assim como o corpo. Nós devemos nos expressar com tudo que temos." E foi durante a temporada da peça no Theatro Net Rio que a atriz aproveitava para soltar a voz nos ensaios com o elenco de "Beatles Num Céu de Diamantes". "Estávamos todos em cartaz lá e me juntei a esses artistas para cantar e fiquei muito entusiasmada."


O filho da atriz conta que a participação da mãe em suas apresentações não estava bastando, o que rendeu o convite para o show. "Ela sempre cantou comigo, mas em momentos pontuais. Agora a ideia é juntar músicas que gostamos e relembrar histórias e sua carreira", diz Beat. Nada disso seria o que é se, nos anos 1950, a então bailarina continuasse a dar seus passos em direção ao Ballet do 4º Centenário, que preparava as comemorações dos quatro séculos de fundação da cidade de São Paulo.

"Meses antes de nos apresentarmos, recebi um convite e fui para a televisão." Isso não significa que ela parou de correr e saltar. Na abertura de "Mulheres de Areia" (1973), Eva é a jovem que percorre feliz a praia na novela da TV Tupi. No show, esse trecho é recuperado enquanto cantam a música da Phonoband. "Nessa época, eu já fazia ponte aérea e já era mãe", diz a nova cantora, que também gravava na antiga Companhia Cinematográfica Vera Cruz, em São Bernardo do Campo. "Aprendi violão e piano com meus pais. Hoje percebo que a música sempre esteve comigo." E revela que também teve aulas ao lado de Nydia Licia. "A mãe dela nos ensinava e, às vezes, cochilava diante do piano."

Para o preparador vocal da cantora e diretor musical, William Paiva, os trabalhos com Eva têm foco em produzir uma voz clara. "Ela já está superpreparada. O objetivo é alcançar uma disponibilidade muscular e um descanso do corpo."

E é com essa tranquilidade que o show empresta um olhar otimista que já começa no título. Inspirada em "Crisis, What Crisis", álbum de 1975 da banda Supertramp, a apresentação passeia pela música brasileira e internacional, como "Palpite", de Vanessa Rangel, "Sei de Cor", de Marília Mendonça, e "My Way", composta por Paul Anka e imortalizada na voz de Frank Sinatra.

Para quem aconselha aos jovens que ousem mais e sem rede de segurança, Eva parece rejuvenescer.
Agência Estado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Mais uma polêmica

Casa de Nego do Borel é revistada pela polícia; Justiça o proíbe de citar Duda Reis

16 JAN 2021 às 18h31
Treeta!

Andressa Urach critica pastores da Universal ao ser comparada a Satanás

16 JAN 2021 às 18h15
Mensagens

WhatsApp, Telegram e Signal: saiba os prós e contras de cada aplicativo de mensagem

16 JAN 2021 às 17h35
Saiba mais

'Ó Paí, Ó', com Lázaro Ramos, ganha continuação de quatro capítulos

15 JAN 2021 às 17h58
Confira!

Cardi B. terá seu primeiro papel como protagonista em filme

15 JAN 2021 às 17h08
Saiba mais

Acusada de homofobia, dupla sertaneja lança clipe de 'Lili' com atriz transgênero

15 JAN 2021 às 16h50
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados