18/01/21
PUBLICIDADE
Polêmica!

Juiz nega pedido de proibição de peça que retrata Jesus como transgênero

A Justiça gaúcha negou, na terça-feira (19) o pedido de cancelamento da peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, durante a programação do 24.º Porto Alegre Em Cena, que ocorre em Porto Alegre. No início desta semana, um advogado ingressou com uma ação judicial pedindo a proibição do espetáculo na capital. A petição foi ajuizada pelo advogado Pedro Lagomarcine, que considera o espetáculo artístico como "um verdadeiro escárnio, um deboche psicodélico de mau gosto".

Na sentença, o juiz José Antônio Coitinho, da 2.ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Porto Alegre, determinou que "sem citar um único artigo de lei, vamos garantir a liberdade de expressão dos homens, das mulheres, da dramaturga transgênero e da travesti atriz, pelo mais simples e verdadeiro motivo: porque somos todos iguais. Não se pode censurar a peça sob argumento de que estamos em desacordo com seu conteúdo. A liberdade de expressão tem de ser garantida e não cerceada - pelo Judiciário. Censurar arte é censurar pensamento e censurar pensamento é impedir desenvolvimento humano".


Ligia Jardim/Divulgação
Ligia Jardim/Divulgação


A assessoria de imprensa do Festival Internacional de Artes Cênicas confirmou ao jornal "O Estado de S. Paulo" a exibição que está marcada para esta quinta, 21, e sexta-feira, 22, às 22h, no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana, região central de Porto Alegre. Na peça traduzida e dirigida por Natalia Mallo, a atriz trans Renata Carvalho recorre à imagem de Jesus para propor reflexões sobre temas como a opressão e a intolerância contra pessoas trans e outros grupos marginalizados a partir de histórias bíblicas. Na semana passada, o espetáculo havia sido cancelado pela Justiça no município de Jundiaí, em São Paulo, por causa do conteúdo.

A peça, escrita pela transgênero inglês Jo Clifford, foi montada pela primeira vez em 2009 na Inglaterra, provocando reações parecidas com a do Brasil em sua estreia. Mais de 300 pessoas agitaram placas contra a autora, cuja mensagem na peça foi considerada "blasfema" por fundamentalistas religiosos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Agência Estado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Mais uma polêmica

Casa de Nego do Borel é revistada pela polícia; Justiça o proíbe de citar Duda Reis

16 JAN 2021 às 18h31
Treeta!

Andressa Urach critica pastores da Universal ao ser comparada a Satanás

16 JAN 2021 às 18h15
Mensagens

WhatsApp, Telegram e Signal: saiba os prós e contras de cada aplicativo de mensagem

16 JAN 2021 às 17h35
Saiba mais

'Ó Paí, Ó', com Lázaro Ramos, ganha continuação de quatro capítulos

15 JAN 2021 às 17h58
Confira!

Cardi B. terá seu primeiro papel como protagonista em filme

15 JAN 2021 às 17h08
Saiba mais

Acusada de homofobia, dupla sertaneja lança clipe de 'Lili' com atriz transgênero

15 JAN 2021 às 16h50
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados