Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Tradição

Boca vai pegar o Timão em sua 10ª final de Libertadores

Agência Estado
21 jun 2012 às 23:26
Publicidade
Publicidade

O Boca Juniors será o adversário do Corinthians na final da Copa Libertadores 2012. Nesta quinta-feira, o time argentino visitou a Universidad de Chile em Santiago, empatou em 0 a 0, e avançou à sua décima decisão continental. No jogo de ida, em Buenos Aires, os donos da casa haviam vencido por 2 a 0.

Contra o Corinthians, o Boca vai tentar realizar um sonho antigo: se igualar ao Independente como maior campeão da história da Libertadores. O time de Riquelme tem seis conquistas, a última delas em 2007. Destas, quatro foram em finais contra brasileiros: Cruzeiro (1977), Palmeiras (2000), Santos (2003) e Grêmio (2007).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Assim, o primeiro jogo da decisão da Libertadores será na próxima quarta-feira, na temida La Bombonera. A volta acontece uma semana depois, no Pacaembu. Por conta do regulamento, não há o critério de "gol fora" na decisão. Dois empates, por exemplo, independente por quais placares, levam o segundo jogo para a prorrogação.

Leia mais:

Imagem de destaque
Mais uma

Corinthians se atrapalha por patrocínio máster e descumpre nova promessa

Imagem de destaque
Time treina na Granja Comary

Seleção feminina entra em reta final de preparação para Paris

Imagem de destaque
Entenda

Novo STJD negocia cargos e tem confusão com Textor como herança

Imagem de destaque
Campeonato Brasileiro

As 6 missões mais urgentes para Ramón Díaz resolver no Corinthians


O JOGO - Como o Boca Juniors não tinha medo de atacar e a Universidad de Chile precisava fazer pelo menos dois gols, a partida foi aberta em Santiago. No primeiro tempo, os argentinos foram mais perigosos e quase abriram o placar em dois lances.


Aos 7 minutos, Riquelme chutou de longe e acertou o travessão chileno. Aos 27, Mouche saiu na cara do goleiro Jhonny Herrera (ex-Corinthians), teve tempo de escolher o canto, mas chutou em cima do rival.

Na segunda etapa, o jogo ficou ainda melhor, com diversas chances para os dois lados. Os chilenos acertaram duas bolas na trave. Uma delas aos 16, com Díaz, outra aos 35, com Ruidíaz. Nos acréscimos, Cvitanich perdeu ótima chance de fazer o gol da vitória argentina.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade