Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Ficou no 0

Brasil esbarra na retranca da Costa Rica e estreia com empate na Copa América

Folhapress
25 jun 2024 às 08:45
- Rafael Ribeiro/CBF
Publicidade
Publicidade

A seleção brasileira estreou na Copa América nesta segunda-feira (24) apenas com um empate sem gols diante da Costa Rica, no SoFi Stadium, em Los Angeles, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Entoado por Enzo Fernández

Canto racista abre crise na seleção argentina e no governo

Imagem de destaque
No Café

Londrina EC prega respeito e seriedade para encarar o Caxias

Imagem de destaque
Até 2029

Manchester City anuncia contratação de Savinho nesta quinta

Imagem de destaque
Novo técnico

Corinthians muda em relação a António e não vai ter esquema único com Ramón

Embora tenha tido o domínio da posse de bola, a maior parte do tempo no campo de ataque, a equipe de Dorival Júnior esbarrou na retranca costa-riquenha e demonstrou uma certa ansiedade com o decorrer da partida na busca pelo gol.

Publicidade


Em seu quinto jogo como treinador da seleção, o primeiro em partidas oficiais, Dorival conseguiu manter a invencibilidade -duas vitórias e três empates-, mas viu o rendimento da equipe cair em comparação com as atuações nos amistosos.


Conforme antecipou na véspera da partida, Dorival fez duas mudanças em relação à formação que empatou com os Estados Unidos no último amistoso antes do torneio. O técnico promoveu as entradas de Éder Militão e Guilherme Arana, nos lugares de Beraldo e Wendell, respectivamente.

Publicidade


A mudança na lateral esquerda tinha, sobretudo, o objetivo de dar mais opções ofensivas para a equipe no setor, por onde costuma atuar Vinicius Jr.


A proposta de aumentar o volume ofensivo, porém, acabou travada pela opção da Costa Rica de se fechar atrás na defesa e, praticamente, abdicar de atacar, mesmo em contra-ataques.

Publicidade


No primeiro tempo, o Brasil teve apenas duas finalizações certas, ambas com Raphinha. Houve ainda uma terceira, que resultou em um gol anotado por Marquinhos, aos 31 minutos, mas a jogada acabou anulada por impedimento após toque de Rodrygo depois da cobrança de uma falta pela esquerda.


Além da retranca armada pelo adversário, que por vezes chegou a colocar oito jogadores na grande área, a etapa inicial ficou marcada por uma confusão envolvendo Vinicius Jr e o zagueiro Mitchell.

Publicidade


Enquanto os dois discutiam na grande área, o goleiro Sequeira se aproximou e teria dito algo que deixou o brasileiro visivelmente ainda mais irritado.


Apoiado por seus companheiros de equipe, o camisa 7 foi até o árbitro mexicano César Ramos para relatar o ocorrido, mas o juiz determinou a continuidade da partida. Quando a primeira etapa terminou, antes de ir para o intervalo, Vini também procurou o quarto árbitro para reclamar.

Publicidade


Depois do intervalo, apesar das entradas de Endrick e Savinho darem um novo gás para o ataque do Brasil no decorrer do segundo tempo, a Costa Rica conseguiu se manter fechada, correndo poucos riscos. Talvez o maior deles tenha vindo em um lance de fogo amigo, quando Mitchell errou um corte e quase mandou de cabeça contra o próprio gol, sendo salvo pelo goleiro Sequeira.


Parecia que, ainda que o jogo tivesse um terceiro tempo, o placar ficaria como terminou 0 a 0, forçado por uma mistura de sorte e competência dos costa-riquenhos com a falta de pontaria brasileira.

Publicidade


Brasil e Costa Rica somaram, então, um ponto e estão empatados no Grupo D.


No outro jogo da chave, a Colômbia venceu o Paraguai por 2 a 1. Daniel Muñoz e Jefferson Lerma fizeram os gols da equipe colombiana. Enciso descontou.


Na próxima sexta-feira (28), o Brasil encara o Paraguai enquanto a Costa Rica vai duelar com a Colômbia.


BRASIL
Alisson, Danilo, Eder Militão, Marquinhos e Guilherme Arana; Bruno Guimarães, João Gomes (Martinelli) e Lucas Paquetá; Raphinha (Savinho), Rodrygo e Vini Jr (Savinho). T.: Dorival Júnior.


COSTA RICA
Sequeira, Mitchell, Vargas, Francisco Calvo, Quirós e Galo; Aguilera (Taylor), Lassiter (Mora) e Brenes (Bran); Zamora (Joel Campbell) e Ugalde (Madrigal). T.: Gustavo Alfaro.

Local: SoFi Stadium, em Los Angeles (EUA)
Árbitro: Cesar Ramos (MEX)
Assistentes: Alberto Morin e Marco Antônio Bisguerra (MEX)
VAR: Guillermo Pacheco (MEX)
Cartões amarelos: Eder Militão (BRA); Calvo, Ugalde (CRC)
Gols:


Imagem
Vini Jr gosta de jogo grande e tem Copa América para virar chave na seleção
A parte mental da preparação para um jogo é cada vez mais importante no futebol. Ter o mesmo nível de concentração para uma partida amistosa e para um torneio maior é um desafio. É dessa equação que surgem os "jogadores de jogos grandes", e Vini Jr. é um
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade