Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Quer ser ídolo...

Neilton ignora pressão por herdar camisa de Neymar

LANCEPRESS
08 jul 2013 às 17:35
Publicidade
Publicidade

A saída de Neymar abriu espaço para outros postulantes a ídolo do Santos. Um deles é o jovem Neilton, de 19 anos. Com porte físico semelhante ao do agora jogador do Barcelona, o garoto herdou a camisa 11 do craque de moicano e esbanja personalidade para falar deste aspecto.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!Net, um dia após ajudar o Santos a vencer o rival São Paulo, Neilton rechaçou comparações, disse que não sente o peso da herança mesmo se fosse a 10 de Pelé e busca seu reconhecimento entre os santistas.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


- Com isso aí (de herdar a camisa 11), eu não me preocupo muito não, porque o Neymar usou a 11, mas ele foi o Neymar, já passou. Agora vamos procurar pensar no futuro, que está vindo. E não sinto pressão disso de usar a 10 que foi do Pelé ou a 11 que foi do Neymar, porque eles já fizeram a história deles - decretou o atacante santista, durante evento em que foi homenageado por um patrocinador em São Paulo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Romário tinha atalho para escapulidas e deu roupa para não apanhar em 1994

Imagem de destaque
Conheça a história:

Seleção cravou valor do bicho pelo tetra em guardanapo após trauma de briga

Imagem de destaque
Entenda

Por que o Flamengo pensa em ter um clube na Europa e tem Portugal como alvo

Imagem de destaque
Confusão

Caos na Copa América gera pressão da Fifa em Miami sobre Mundial de Clubes


- Eu quero ser o Neilton. O Neymar já fez o futuro dele, já tá lá no Barcelona e se Deus quiser vai ganhar o título de melhor do mundo e agora quero ser o Neilton. Agora não, né?! Sempre quis - completou o jovem jogador.


Promovido este ano ao time profissional depois de ser um dos principais destaques no título da Copinha, Neilton fez sete jogos no time de cima e marcou um gol. Ele virou títular da equipe sob o comando de Claudinei Oliveira, seu treinador na base, e destaca a parceria como uma das razões de seu bom momento.

- Com ele, a gente pode ter uma confiança a mais de jogar ali, já que ele dá liberdade e isso ajuda bastante dentro de campo - analisou o jogador.


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade