Pesquisar

Canais

Serviços

Venceu no Japão

F1: Verstappen vê 'tudo funcionando' em vitória e projeta GP da China

UOL/Folhapress
08 abr 2024 às 09:15
- Reprodução/Facebook
Publicidade
Publicidade

Vencedor do GP do Japão, Max Verstappen destacou que tudo -inclusive o clima- contribuiu para mais um triunfo, o terceiro em quatro corridas em 2024.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Luca Kumahara

Globo terá atleta trans entre comentaristas da Olimpíada de Paris

Imagem de destaque
Sul-Americano

Duas atletas do Londrina Futsal são convocadas para a Seleção Brasileira sub-20

Imagem de destaque
Vôlei

Bernardinho volta manso à seleção e espera por gatilho nas Olimpíadas de Paris

Imagem de destaque
Investigação

Homem é preso suspeito de fotografar partes íntimas de jogadoras de vôlei no RJ

Verstappen admitiu que teve dificuldade em manter a liderança em certo momento. O holandês afirmou que se sentiu realmente ameaçado apenas nas largadas - foram duas-, quando chegou a ficar lado a lado com Sergio Pérez.

Publicidade


Verstappen destacou que o desgaste dos pneus, um dos fatores fundamentais no GP do Japão, pôde ser melhor controlado graças a um clima mais ameno, com o sol entre as nuvens.


"Foi muito legal voltar a vencer. Foi difícil manter a primeira posição na largada. O carro melhorou ao longo da corrida; o céu encoberto por nuvens ajudou em relação ao desgaste dos pneus. Tudo funcionou: o carro, a estratégia, os pneus."


Verstappen avaliou que o próximo GP, em Xangai, deve ser interessante pelo longo tempo sem GPs no local, pelo formato com corrida sprint e pelo fato de que os pilotos terão apenas um treino livre.


"Vai ser muito difícil [na China]. Teremos o formato sprint, faz tempo que não corremos lá e teremos apenas um treino livre. Vai ser interessante."


Imagem
Promessas se inspiram em Senna e não se abalam por F1 sem brasileiros
O tricampeão mundial Ayrton Senna morreu há quase três décadas, mas segue inspirando as jovens promessas do automobilismo brasileiro, como Heitor Dall Agnol Farias e Gabriel Koenigkan
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade