Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Proposta semelhante

Após Apucarana, Câmara de Londrina vai discutir sepultamento de pets em cemitérios

Douglas Kuspiosz - Folha de Londrina
04 jul 2024 às 20:01
- Divulgação/Acesf
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Uma semana depois da aprovação do projeto de lei que permite o sepultamento de animais domésticos em cemitérios de Apucarana, a CML (Câmara Municipal de Londrina) recebeu uma proposta semelhante. A vereadora Daniele Ziober (PP) assina um PL que visa autorizar o londrinense a enterrar seus pets nos cemitérios públicos da cidade.


A FOLHA teve acesso à primeira versão do PL - ainda sem número - que em breve deve começar a tramitar no Legislativo. Pela proposta, poderão ser sepultados cães e gatos nas gavetas e jazigos das famílias. As normativas deverão ser estabelecidas pela Acesf (Administração dos Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


De acordo com o texto, todas as despesas do sepultamento ficarão a cargo da família do concessionário da gaveta ou do jazigo. E os cemitérios particulares poderão estabelecer normativas próprias para o enterro dos animais.

Leia mais:

Imagem de destaque
Queixa recorrente de tutores

Seu pet costuma comer fezes? Veterinário explica o fenômeno da coprofagia

Imagem de destaque
Descubra o Top 10

Pets Sem Raça Definida e cães das raças Shih Tzu e Poodle são os prediletos dos tutores brasileiros

Imagem de destaque
30 dias para conclusão

Comissão do governo vai definir regras para transporte aéreo de pets

Imagem de destaque
Após cair em uma armadilha

Onça-parda capturada por moradores de chácaras em Londrina é solta em área protegida


A justificativa do projeto assinado por Ziober é semelhante à do PL de Apucarana, ressaltando que, hoje, muitos pets são considerados membros das famílias e que, quando ocorre o falecimento do animal, “há dificuldades para se dar o encaminhamento respeitoso que ele merece”.

Publicidade


A vereadora explica que nesta quinta-feira (4) o projeto ainda estava passando por revisões na Câmara, última etapa antes de efetivamente ser protocolado na CML. A proposta não é inédita e, além de Apucarana, já foi tema de projetos em Campinas (SP) e Indaiatuba (SP), sempre com o intuito de dar autorização aos moradores.


“A gente sabe que as pessoas emocionalmente hoje têm um grande vínculo com os seus animais, muitos os tratam até como filhos”, justifica a parlamentar em entrevista exclusiva à FOLHA.

Publicidade


Outro argumento para a defesa do texto são as altas taxas cobradas pelos poucos cemitérios e crematórios destinados a animais domésticos, o que inviabiliza o acesso desse serviço para a maioria da população.


“A propositura deste projeto de lei vai ao encontro da necessidade de criação de meios que possibilitem à sociedade, cada vez mais, compreender a importância que os pets têm na vida das pessoas que com eles convivem”, acrescenta a justificativa.


CONTINUE LENDO NA FOLHA DE LONDRINA.

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade