Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Conheça os serviços!

Consumismo, imediatismo e falta de limites podem afetar a saúde mental de crianças

Caroline Knup - Especial para o Portal Bonde
21 jul 2023 às 17:14
- Caroline Knup
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Caps (Centro de Atenção Psicossocial) para a Infância e Adolescência é referência municipal no atendimento especializado em saúde mental para crianças, adolescentes e seus familiares. Localizado na rua Joá, 46, na Vila Nova, o local atende pacientes de até 18 anos que apresentam diferentes queixas, que vão desde confusões mentais até crises de ansiedade.


A enfermeira Silvana Valentim, coordenadora do Caps Infantil, explica que a demanda e a gravidade dos problemas apresentados pelas crianças e pelos adolescentes crescem a cada dia. "Hoje, atendemos, em média, 500 pacientes na rotina. Nesse mês, já ultrapassamos a marca de 1.600 procedimentos que envolvem o atendimento aos pacientes e às suas famílias", aponta.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Além de atendimentos agendados, o Caps Infantil conta com plantões técnicos, que direcionam a atenção a crianças e adolescentes que apresentam problemas emergenciais, como tentativas de suicídio, crises de ansiedade graves e automutilação.

Leia mais:

Imagem de destaque
UNIDADE DO JARDIM DO SOL

Após desabamento de forro, UPA de Londrina pode ser transferida para prédio na Faria Lima durante obras

Imagem de destaque
PARA CRIANÇAS DE 10 E 11 ANOS

Cambé inicia vacinação contra dengue nesta terça-feira (27)

Imagem de destaque
Mais de 58 mil casos no PR

Brasil ultrapassa 650 mil casos de dengue; 94 mortes desde o início do ano

Imagem de destaque
Entenda

'Quadro psicótico', diz Vanessa Lopes ao falar sobre o que a fez sair do BBB


Conforme aponta Valentim, o Centro oferece consultas médicas, terapias individuais e em grupo, visitas domiciliares e atividades externas, como aulas de desenho e música, que costumam acontecer no Sesc Cadeião. "Apesar de termos o plantão técnico, não temos plantão médico. Então, quando o paciente precisa desse atendimento, encaminhamos para um serviço de urgência", ressalta a coordenadora.

Publicidade



ATENDIMENTOS E PACIENTES


A dona de casa M. V. leva sua filha semanalmente aos Caps Infantil. Segundo a londrinense, a menina realiza acompanhamento psicológico e psiquiátrico. "Minha filha foi diagnosticada com ansiedade e faz terapia aqui. Os psicólogos atendem bem e eu percebo que ela está tendo uma evolução", conta.

Publicidade


S. M, auxiliar de serviços gerais, também acompanha o filho durante o tratamento para depressão oferecido pelos profissionais do Caps Infantil. "A gente sempre foi bem atendido aqui e a gente percebe que tem feito diferença na vida dele [do filho]", afirma.


De acordo com o pai, o atendimento oferecido às famílias impactou o tratamento de seu filho de forma positiva. "Quando ele [o filho] foi encaminhado para cá, a gente não sabia muito sobre depressão, realmente não entendia. Então eles chamaram a gente, falaram o que era e como ia funcionar o atendimento. Explicaram certinho e agora a gente sabe que tem que trazer o menino", conta o auxiliar de serviços gerais.

Publicidade


Imagem
Psicóloga dá 8 dicas práticas para lidar com a ansiedade no dia a dia
A ansiedade tem se tornado um problema recorrente, tanto em nível mundial quanto no Brasil.


PROBLEMAS E CAUSAS


As principais queixas apresentadas pelos pacientes do Caps Infantil estão relacionadas a transtornos de conduta, transtornos opositores e desafiantes, agitação psicomotora, hiperatividade, transtornos de ansiedade, depressão e agressividade. Para a coordenadora do Centro, a rotina das crianças e dos adolescentes, bem como o contexto em que estão inseridos, pode ser a causa de diversos problemas.

Publicidade


"Aqui atendemos muitas crianças com graves problemas devido ao uso do celular, crianças sem uma rotina de sono e de escola. A prevenção é fundamental para a saúde mental deles e, atualmente, as crianças adoecem pelo excesso do consumismo e de imediatismo, pela desestruturação familiar e pela falta de limites e de afeto assertivo", explica.


A família, portanto, tem grande influência sobre o bem-estar e a saúde mental das crianças e dos adolescentes. Conforme pontua Valentim, a mente de um indivíduo está em formação até, em média, os 25 anos de idade. Por isso, a coordenadora do Caps enfatiza a importância de não somente estimular o desenvolvimento mental e emocional, mas também de mudar hábitos e comportamentos que têm se tornado comuns.

Publicidade


Imagem
Em meio a clima de tensão, faltam profissionais de saúde mental em escolas do Paraná
As iniciativas propostas e definidas pelo governo do Estado são majoritariamente baseadas em ações de segurança pública, mas duas delas têm como foco a saúde mental da comunidade escolar.


"A família sempre foi a base de tudo. Quando a família adoece, os filhos adoecem. É urgente que existam mudanças no sentido do fortalecimento dos laços familiares, da afetividade, do respeito, dos limites e das rotinas em cumprimento."


REVITALIZAÇÃO

Publicidade


Com o objetivo de oferecer uma estrutura melhor para os serviços prestados às crianças e adolescentes e suas famílias, o Caps Infantil passou por uma revitalização, que foi entregue pela Prefeitura de Londrina no dia 30 de junho.


De acordo com o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, a unidade voltada para crianças e adolescentes teve, além de reformas em sua infraestrutura, uma recomposição voltada aos recursos humanos.


"Aqui no Caps a gente fez a pintura interna e externa, a substituição da parte elétrica para podermos instalar ar condicionados em todas as salas, substituímos os equipamentos por novos computadores e investimentos em novos móveis, todos planejados e pensados para a ergonomia dos nossos servidores. Além disso, fizemos uma nova comunicação visual para chamar atenção das crianças e investimos na aquisição de tablets para que as equipes multiprofissionais possam usar a ferramenta dentro do plano terapêutico dos pacientes", explica.



RECURSOS HUMANOS


Quanto ao quadro de servidores, Machado ressalta que a unidade conta com seis psicólogos, duas terapeutas ocupacionais, três auxiliares administrativos, três profissionais dos serviços de copa/apoio, duas enfermeiras e, na próxima semana, terá três psiquiatras.


No total, a revitalização do Caps Infantil custou R$ 226 mil, que foram pagos pela Prefeitura com recursos próprios. Desse total, R$ 150 mil foram investidos nas intervenções e R$ 76 mil nos móveis e equipamentos. Conduzidas pela empresa Tekenge Engenharia, as obras foram executadas durante cerca de quatro meses.


PARCERIA COM AS ESCOLAS


O Caps Infantil atende, também, crianças triadas e encaminhadas pelas escolas municipais. Nas instituições, uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos, psicopedagogos e pedagogos conduz os atendimentos.


"Temos uma parceria com as escolas municipais de Londrina e isso funciona muito bem. Quando a escola identifica e encaminha para o Caps, inserimos o aluno nos atendimentos e passamos um feedback para a instituição. Há trocas de informação o todo tempo", aponta Machado.


Imagem
Governo anuncia R$ 200 milhões para saúde mental em 2023
A ministra da Saúde, Nísia Trindade, assinou nesta segunda-feira (3) duas portarias que instituem a recomposição fi


REFORMAS DE ÓRGÃOS DE SAÚDE MENTAL


Felippe Machado aponta, ainda, que outros órgãos municipais voltados à saúde mental da população já passaram ou irão passar por revitalizações. 


"O Caps Álcool e Drogas tinha uma estrutura na Zona Norte e era prejudicava, além de ser em uma localização que dificultava a adesão dos pacientes ao tratamento. Essa foi a primeira unidade de saúde mental que investimos em modernização. Agora o Caps funciona no antigo Hospital Ortopédico, no cruzamento entre a Duque de Caxias e a JK."


A próxima reforma de estrutura voltada à saúde mental será executada no Caps III, localizado no Alto da Boa Vista, que atende pacientes em idade adulta. Na unidade, além do atendimento agendado, há o pronto-atendimento psiquiátrico, que funciona 24 horas por dia.


"O Caps III é nossa maior estrutura e vamos reformar e ampliar o prédio. Mas, como a intervenção vai ser muito grande e o fluxo de pacientes é bem mais intenso, estamos fazendo um projeto completo. Com o projeto pronto vamos licitar a obra", finaliza Machado.


O prazo para entrega do projeto de reforma do Caps III se encerra em outubro deste ano e o secretário de Saúde calcula que a obra terá um custo entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões. A projeção é que a entrega final seja realizada até julho de 2024.


Imagem
CAPS Álcool e Drogas ganha nova sede na área central de Londrina
A sede do CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) agora está em novo endereço. A unidade fo
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade