30/10/20
PUBLICIDADE
Veja os números

Mesmo na pandemia, Paraná é líder em doações e transplantes de órgãos

Pixabay
Pixabay


Apesar das dificuldades em meio à pandemia, o Paraná se mantém líder em doações e transplantes de órgãos no Brasil neste primeiro semestre. Os dados da Abto (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos) mostram que o Estado atingiu a marca de 44,1 doações de órgãos efetivas por milhão de população (pmp), ficando à frente dos demais estados brasileiros e muito acima da média nacional, que fechou em 15,8 pmp.


"O trabalho eficiente e estruturado do Sistema Estadual de Transplantes (SET/PR) se manteve mesmo em meio ao enfrentamento da pandemia. Nos últimos anos o Paraná tem se mantido na liderança, e muito mais que um número, isso representa que o Estado tem mantido o compromisso com as famílias paranaenses de continuar salvando vidas”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Boletim municipal: Londrina ultrapassa 4mil casos de Covid-10 e chega a 141 mortes

Segundo ele, os potenciais doadores estão sendo testados para garantir a segurança de todos. "No Paraná todos os potenciais doadores de órgãos estão sendo testados para Covid-19. Isso garante segurança aos receptores e também dá tranquilidade aos profissionais de saúde”, disse.

Dados

De janeiro a junho de 2020, o Paraná registrou 558 notificações de potenciais doadores e 252 doações efetivas, que corresponderam a 385 transplantes de órgãos.

Além da liderança em doações, o Estado se mantém no topo da lista em transplantes renais e em segundo lugar em transplantes de fígado, com uma média de 45,7 e 19,2 pmp, respectivamente.

Os dados também mostram que o Estado teve queda das recusas familiares em doar os órgãos, nestes seis meses. Apenas 23% das famílias se recusaram a doação de órgãos, sendo este o índice o mais baixo já registrado na história do SET/PR.

"A queda na recusa dos familiares demonstra que a população paranaense tem se mostrado ainda mais solidária e consciente da importância da doação de órgãos”, disse a coordenadora do Sistema, Arlene Terezinha Cagol Garcia Badoch.

Entrevista familiar

No Brasil, as doações só ocorrem após o diagnóstico da morte encefálica e precisam ser autorizadas pela família do doador, mesmo que o paciente tenha registrado em vida o desejo de doar. Todas as famílias dos potenciais doadores passam por uma conversa com as equipes de saúde para esclarecer as dúvidas e receberem orientações.

"Estes números expressivos de doações e transplantes também são reflexo da capacitação contínua dos profissionais que atuam no processo de doação. O esclarecimento das etapas do diagnóstico de morte encefálica e o acolhimento e apoio às famílias que perdem seus entes queridos são essenciais para que a doação seja efetivada e beneficie os que aguardam na fila”, acrescentou Badoch.

Apoio aéreo

Doadores que estejam até 200 quilômetros de distância do receptor, o SET/PR faz o transporte dos órgãos e/ou tecidos por via terrestre. Além desta distância, é solicitado apoio aéreo para agilizar o procedimento. O Paraná conta com a ajuda da frota de aeronaves do Governo do Estado, que é formada por quatro aviões e um helicóptero.

De janeiro a junho deste ano foram 51 missões de apoio, para a captação de pelo menos 135 órgãos, perfazendo 59 horas de voo. O SET/PR também conta com a ajuda da frota de aeronaves do Governo do Estado, Divisão de Transporte Aéreo da Casa Militar, Grupo de Operações Aéreas da Polícia Civil do Paraná (GOA/PCPR), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA).

Equipe

A Central Estadual de Transplantes, mantida pelo Governo do Estado, está localizada em Curitiba, mas há quatro OPOs (Organizações de Procura de Órgãos), na Capital, Londrina, Maringá e Cascavel.

Estes centros trabalham na orientação e capacitação das equipes distribuídas em 67 hospitais do Paraná, que mantêm Comissões Intra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes.

São cerca de 700 profissionais envolvidos, entre eles 23 equipes de transplante de órgãos, 25 centros transplantadores de córneas e três bancos de córneas em atividade – Londrina, Maringá e Cascavel.
AEN-PR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Boletim diário

Londrina confirma mais três mortes em decorrência da Covid-19 e 77 novos casos

30 OUT 2020 às 19h03
Boletim da sesa

Paraná ultrapassa 210 mil casos de Covid-19 nesta sexta-feira

30 OUT 2020 às 16h20
Boletim da pandemia

Maringá registra nova morte e 46 casos de Covid-19 nesta sexta

30 OUT 2020 às 16h02
Sputnik V

Anvisa recebe pedido de avaliação preliminar de documentos da vacina russa

30 OUT 2020 às 14h56
Saiba mais

Saúde recomenda retorno gradual dos procedimentos cirúrgicos eletivos

30 OUT 2020 às 11h37
Alerta!

Dia de luta contra o reumatismo: a importância do diagnóstico precoce

30 OUT 2020 às 10h30
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados