Pesquisar

Canais

Serviços

Shutterstock
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Causa dependência

Urologista alerta sobre uso de remédio para impotência sexual

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
05 abr 2019 às 16:33
Continua depois da publicidade

Popularmente conhecida como impotência sexual, a disfunção erétil consiste na dificuldade em alcançar e manter a ereção do pênis devido à quantidade insuficiente de sangue na região. Trata-se de uma das condições que mais assusta a população masculina, o que pode levar ao uso indevido de medicação após um único episódio ou até mesmo a partir de uma insegurança pessoal.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Segundo Emilio Sebe Filho, urologista e fundador da Lifemen, a automedicação não é indicada pela comunidade médica, pois o uso indiscriminado de qualquer remédio pode levar a quadros de intoxicação e desregulação do organismo.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Os medicamentos para impotência sexual, por sua vez, são ainda mais delicados, pois geram vasodilatação a fim de aumentar o fluxo sanguíneo do pênis. "Um medicamento vasodilatador pode gerar queda de pressão, tontura, alterações visuais, desmaio e até mesmo infarto. O uso associado com outras drogas também pode levar a complicações graves, além de ser possível gerar dependência emocional e química das substâncias", pontua o especialista.

Emilio ressalta ainda que a disfunção erétil pode ser resolvida com outras abordagens, como a terapia de ondas. "A Terapia de Ondas apresenta resultados eficientes e sem efeitos secundários ou necessidade de recuperação. O procedimento é indolor, não invasivo e traz resultados duradouros", explica. A impotência sexual também pode estar relacionada a fatores emocionais, que podem ser trabalhados com acompanhamento psicológico em sessões de terapia sexual, por exemplo.


Continue lendo