Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Guarda Municipal Londrina
Continua depois da publicidade
Dinheiro

Justiça nega liberdade para rapaz preso com R$ 860 mil em Londrina

26 dez 2018 às 08:54
Continua depois da publicidade

O juiz da 5ª Vara Criminal de Londrina, Paulo César Roldão, manteve a prisão preventiva de Paulo Lucas de Oliveira Dias, 22 anos, preso pela Guarda Municipal no dia 13 de novembro com R$ 860 mil. A apreensão aconteceu na rua dos Arquitetos, no jardim Cristal, zona sul. Segundo os guardas, o dinheiro estava escondido em uma caminhonete Ecosport branca, onde também teriam sido encontradas uma pistola Glock 9mm e 10 munições no banco do passageiro. Hoje, o jovem é réu por porte ilegal de arma de fogo, mas ainda é alvo de um inquérito paralelo aberto pela Polícia Civil para investigar a suposta lavagem de dinheiro.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A defesa alegou que "manter a prisão preventiva é desnecessária e que esta se embasou no clamor público", pleiteando por medidas cautelares, como a tornozeleira eletrônica. O Ministério Público se opôs ao pedido. O magistrado entendeu que a decisão que decretou a detenção por tempo indeterminado "está suficientemente fundamentada, não havendo nenhum fato novo capaz de alterá-la".


Outro fator que pesou no despacho judicial foi a falta de explicações de Paulo Dias durante audiência de custódia sobre a origem do montante. O juiz Roldão disse ser "inimaginável que teria sido proveniente de seus rendimentos, já que, conforme ele mesmo afirmou, na data dos fatos estava desempregado". Uma audiência de instrução foi marcada para 14 de março, às 16h, oportunidade em que o advogado do acusado poderá convocar testemunhas para depor no processo.


GMs afastados

A investigação simultânea da 10ª Subdivisão Policial já rendeu o afastamento de 15 guardas municipais. Eles são suspeitos de terem se apropriado de parte da quantia apreendida com Dias. De acordo com o secretário municipal de Defesa Social, Evaristo Kuceki, que oficializou o desligamento dos agentes, 14 deles podem responder pelo crime de peculato. Os R$ 860 mil transportados teriam origem no tráfico de drogas e seriam repassados como forma de pagamento a outros traficantes.

Três GMs devolveram juntos R$ 60 mil, sendo que cada um havia embolsado R$ 20 mil. A defesa do rapaz preso informou que ele teria sido coagido pelos GMs que supostamente colocaram a arma dentro do veículo para fazer a prisão. Paulo Dias está detido na CCL (Casa de Custódia de Londrina).


Compartilhar nas redes:

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade