Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Atire a primeira pedra

07 fev 2017 às 08:50
Continua depois da publicidade

Atire a primeira pedra quem nunca cantou, pelo menos uma vez, o refrão "É o amooooorrrr", que fica tão bem na voz do Zezé Di Camargo. E podem tacar todas as pedras aqueles que nunca cantaram uma música do grupo "Molejo".

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Pode atirar a primeira pedra você que nunca pensou em ligar para a(o) ex, de madrugada, para fazer juras de amor depois de beber todas no boteco.

Continua depois da publicidade


Atire a primeira pedra aquele que, dizendo estar de regime, não abriu uma lata de leite condensado, para tomar só um pouquinho e matar a vontade de doce, mas acabou abrindo também um pote de achocolatado e matou a lata toda fazendo e comendo "brigadeiros caseiros".


Pode começar com as pedradas você que nunca procrastinou. E também você, que vendo a pia cheia de louça, enrolou até que alguém começasse a fazer o serviço. E depois ainda teve a cara de pau de dizer "nossa, eu ia lavar!"


Ou você, que nunca mentiu para o professor jurando que fizera o trabalho, mas que não poderia entregar porque "deu pau no computador".

Continua depois da publicidade


Atire a primeira pedra quem jamais lê as fofocas dos artistas nas páginas especializadas. E também quem nunca escreveu frases no Facebook criticando aqueles que leem fofocas de artistas em páginas especializadas.


Fica ainda autorizado a ser o primeiro, ou a primeira, a atirar quem nunca comentou "linda" na foto da amiga que, na verdade, está bem derrubada.


Atire a primeira pedra você que nunca foi o primeiro a dar bom dia no grupo de WhatsApp da família. E pode jogar todas as pedras quem nunca arrumou treta no grupo da família depois de desabafar sobre atos de uns e outros.


Por fim, pode atirar a primeira pedra quem nunca murchou a barriga na hora de tirar foto; quem nunca xingou no trânsito; quem nunca fez conversão sem ligar a seta e, esta vale só para os meninos, nunca deixou pingar na tampa do vaso.

A crônica acima é integrante da coletânea "Notícias Incomuns: e outras crônicas escolhidas", livro de autoria deste repórter. Custa entre R$ 10,00 e R$ 15,00 e está à venda nas Livrarias Curitiba (Shopping Catuaí); Livraria da Sílvia (Rua Belo Horizonte, 900); Banca Rodeio (Calçadão, ao lado do Restaurante Rodeio), Banca do Tito (Centro Comercial da Rua Piauí) e Banca Goiás (Rua Goiás com Pernambuco).


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade