Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Trabalhador sempre sai perdendo

Funcionários demitidos da Starbucks só receberão acerto na recuperação judicial

Fernanda Brigatti - Folhapress
15 nov 2023 às 15:18
- Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Ex-funcionários de unidades da Starbucks no Rio estão estudando ir à Justiça para tentar receber o dinheiro de seus acertos. Consideram também a realização de protestos para pressionar a rede de cafeterias.


Demitidos no dia 31 de outubro, data em que o grupo que controla a empresa apresentou pedido de recuperação judicial, eles tinham sido informados que receberiam em 10 de novembro. No dia em questão, receberam um email do RH avisando que o dinheiro não sairia por conta do processo.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Julia Vitória do Amaral Barbosa, 25, trabalhava há quatro anos em uma unidade da Starcucks em Botafogo, na zona sul do Rio. Era a única pessoa com deficiência na cafeteira, onde exercia a função de atendente barista.

Leia mais:

Imagem de destaque
Queda no valor médio

Cesta básica fica mais barata pelo segundo mês seguido em Londrina

Imagem de destaque
Grandes fortunas

Haddad quer proposta “ambiciosa” para taxação de super-ricos no Brasil

Imagem de destaque
Lances até quinta-feira (29)

Leilão on-line oferece imóveis, veículos e outros itens em Londrina

Imagem de destaque
CIDADE ACOLHEDORA

Cerca de 43% dos visitantes procuram Londrina para lazer, negócios e eventos, aponta levantamento


No dia 31 de outubro, estava de folga e emendaria a pausa com as férias, que começariam no dia 1º de novembro. "Recebi uma mensagem e fui lá. Cheguei, estavam todos os baristas e tinha papel para a gente assinar. Era a demissão."

Publicidade


Outros ex-funcionários ouvidos fazem relatos similares, mas pediram para não serem identificados. Eles estão organizados em um grupo de WhatsApp que, até o início da tarde de terça (14), tinha 30 pessoas.


Imagem
O que fazer se a empresa não pagar a primeira parcela do 13º salário?
As empresas não podem reclamar das finanças nem usar a crise como desculpa, todos os empregados celetistas devem receber, no máxi


A SouthRock, controladora da Starbucks, diz que está impedida de realizar qualquer movimentação financeira por conta da tramitação da recuperação judicial. O pedido da empresa ainda não foi analisado pela Justiça de São Paulo.

Publicidade


"A companhia afirma estar totalmente dedicada a tomar todas as medidas legais cabíveis para agilizar a resolução da situação, e reitera que os compromissos assumidos com todos os seus stakeholders serão respeitados, seguindo os termos da legislação aplicável."


O advogado Miguel Ângelo Cançado, especialista em recuperação judicial, diz que os créditos trabalhistas estão submetidos à recuperação judicial. Portanto, todas as demissões realizadas até a apresentação do pedido passam a ser tratadas como créditos dentro do processo.

Publicidade


Se o pedido de recuperação judicial for aceito pela Justiça, os ex-funcionários terão prioridade no plano de pagamentos dos credores.


Imagem
Shopping de Londrina inaugura primeiro café Starbucks do interior do Estado
O Catuaí Shopping Londrina acaba de anunciar a chegada da Starbucks ao empreendimento. A loja vai inaugurar no primeiro semestre do ano em um e


Nos documentos enviados à Justiça de São Paulo, a SouthRock disse que as empresas geridas por ela no Brasil devem R$ 10,447 milhões a 885 ex-funcionários, com valores descritos como referentes à rescisão de contrato.

Publicidade


O detalhamento dos credores foi incluído no pedido de recuperação judicial feito pelo grupo à Justiça de São Paulo e que ainda não foi analisado. Na petição inicial, os advogados do grupo apontam que o valor da ação é R$ 1,8 bilhão.


No dia 1º, o juiz Leonardo Fernandes dos Santos, da 1ª Vara de Falências da Justiça de São Paulo, negou os pedidos de tutela de urgência feito pela SouthRock para suspender a rescisão do acordo de licenciamento com Starbucks e impedir a retenção de recebíveis.

Publicidade


Na terça (7), Santos concedeu parte do pedido da SouthRock e determinou que credores do grupo fiquem impedidos de levantar valores já bloqueados em ações de execução em andamento.


Imagem
Starbucks anuncia segunda loja em Londrina; saiba onde será
O Aurora Shopping Londrina acaba de anunciar que irá receber uma loja da Starbucks no empreendimento



O grupo SouthRock controla diversas empresas de alimentação no Brasil, além da rede de cafeterias, de onde vem sua principal fonte de receitas, cerca de R$ 50 milhões ao mês. Eataly, TGI Fridays, Brazil Airport Restaurantes, Brazil Highway Restaurantes, Vai Pay Soluções em Pagamento e Subway estão entre os negócios do grupo. O Subway não entrou na RJ no Brasil.


O pedido de recuperação judicial dos negócios da SouthRock foi acelerado pela notificação de rescisão do contrato de licenciamento para o uso da marca, que chegou em 13 de outubro. Assessores legais da dona da marca e os controladores no Brasil ainda negociaram até o dia 27 de outubro, quando as conversas foram interrompidas.


A SouthRock pediu à Justiça que concedesse, de maneira emergencial, a suspensão da perda do direito de uso da marca, mas o juiz da vara de falências considerou que o tema era alheio à recuperação judicial. A SouthRock diz que a notificação não tem efeito imediato e, por isso, segue sendo a operadora da Starbucks no Brasil, de modo que todas as lojas em operação estariam regulares.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade