Pesquisar

Canais

Serviços

O príncipe herdeiro, Nahurito, visitará o Brasil sozinho, devido ao estado de saúde de sua esposa, Masako, 44 anos, que sofre de depressão - Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Príncipe do Japão

Naruhito quer respeito mútuo entre japoneses e imigrantes

Folha de Londrina / France Press
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O príncipe Nahurito, herdeiro do Japão, afirmou nesta quarta-feira (11) que é importante que japoneses e imigrantes se respeitem mutuamente, quando o Japão abre gradualmente suas portas aos estrangeiros, uma semana antes de uma visita ao Brasil.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

O herdeiro do Trono de Crisântemo fez o comentário durante uma coletiva de imprensa antes da visita ao Brasil, na próxima semana, para o centenário da chegada dos primeiros imigrantes japoneses ao país.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O Brasil tem atualmente mais de 1,2 milhão de descendentes japoneses, a maior comunidade de origem nipônica no exterior, enquanto mais de 300.000 brasileiros de origem japonesa vivem agora no Japão. ‘Acredito que é importante criar um ambiente em que os estrangeiros que vivam no Japão e os japoneses vivam juntos se respeitando mutua-mente’, disse o príncipe. Contudo, reconheceu que a integração dos estrangeiros pode ser difícil pelas ‘diferenças de cultura e a língua’.


Visita ao Brasil


O príncipe herdeiro, de 48 anos, visitará o Brasil sozinho, devido ao estado de saúde de sua esposa, Masako, 44 anos, que sofre de depressão há anos.

Continua depois da publicidade


‘Peço a compreensão da população, apesar de lamentarmos pelos brasileiros e japoneses que queriam que viajássemos juntos’, explicou.


A princesa, uma ex-diplomata poliglota, formada em Oxford e Havard, viajará ao exterior apenas se isso ‘ajudar no seu restabelecimento’, acrescentou.

Há 100 anos, cerca de 800 japoneses partiram de Kobe (oeste do Japão) a bordo do barco ‘Kasato Maru’, em busca de uma vida melhor. Em junho de 1908, chegaram ao porto de Santos, onde na realidade tiveram que trabalhar duramente na agricultura.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade