Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Denúncias

Alunas e pais protestam contra professores acusados de assédio em Londrina

Pedro Marconi - Grupo Folha
03 jul 2023 às 13:49
- Divulgação/PM
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Um grupo de pais e estudantes fez um protesto na manhã desta segunda-feira (3) em frente ao colégio estadual padre Wistremundo Roberto Perez Garcia, no Parque Ouro Verde, zona norte de Londrina. Eles denunciam supostos casos de assédio e importunação sexual envolvendo dois professores – de educação física e geografia - da instituição contra alunas. Com cartazes e palavras de ordem, pediram punição para os docentes e respeito no ambiente escolar.


Uma estudante, hoje com 13 anos, relatou que teria sido abordado pelo professor de educação física no ano passado, perto da diretoria. Na época, ela tinha 12 anos. “Estava com algumas amigas subindo para a sala de aula. Elas foram buscar outras amigas e foi no momento em que estava sozinha que ele me abraçou a força, apalpou meus seios e falou que a calça jeans que usava era para usar em shopping, enquanto passava a mão nas minhas pernas”, relatou. “Fiquei desesperada. Senti raiva e tristeza.”

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Outra adolescente, de 16 anos, afirmou que também foi assediada pelo mesmo servidor. No caso dela, o crime teria acontecido durante e depois da aula de educação física. “Estávamos na quadra e durante a atividade acabei caindo. Ele questionou se o airbag tinha funcionado. Depois ele ainda me perguntou se sabia o que era airbag”, destacou, citando que o docente comparou o acessório de segurança de veículos às nádegas. “Ele disse que era para ir sem sutiã para as aulas”, acrescentou.

Leia mais:

Imagem de destaque
Faça sua inscrição gratuita!

Clube das Mães Unidas divulga a programação de cursos do mês de março

Imagem de destaque
Esporte tradicional

Primeira Copa Agroplay de futebol movimenta distritos de Londrina a partir de domingo

Imagem de destaque
Eventos gratuitos

Programação Especial Mulheres começa neste sábado no Sesc Cadeião Cultural

Imagem de destaque
Crianças de 10 e 11 anos

Dia D contra a dengue terá mutirão de vacina em shopping de Londrina


O mesmo teria sido vivenciado por outra aluna, de 11 anos, em 2022. “Foram duas situações. A primeira vez ele falou que não era para minha filha ir de sutiã e nem top e que era para usar calça legging”, narrou a mãe da estudante, que estava na sexta série do ensino fundamental. “Na segunda vez ele agarrou minha filha por trás e quando ela se virou o professor disse que era para ela ficar em silêncio”, indignou-se.


A família da garota só ficou sabendo dos episódios neste ano. “Minha filha não queria ir mais para a escola. Ela começou a fazer (associação) Guarda Mirim e foi durante uma conversa com a assistente social que contou. A assistente me chamou e expôs o que ela disse. Fiz a denúncia no NRE (Núcleo de Regional de Educação) de Londrina e minha filha conseguiu medida protetiva”, comentou. A mãe ainda frisou que a medida não teria sido respeitada. “Temos relatos que o professor de geografia via vídeos pornográficos em sala.”


Saiba mais sobre a investigação na Folha de Londrina.


Imagem
Pais e alunas protestam contra professores acusados de assédio
Dois docentes foram afastados do colégio Wistremundo Garcia após denúncias de estudantes ao NRE e à Polícia Civil; famílias cobram justiça
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade