Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Artesanato Caigangue

Índias de Londrina vão a evento internacional

Redação Folha
17 jun 2006 às 14:55
As mulheres do projeto Kre Kygfy utilizam como matéria prima diversas fibras e cores naturais - Divulgação/NC PML
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Quatro representantes do projeto Kre Kygfy (lê-se Crê-fi), realizado na Terra Indígena (TI) Apucaraninha pela Prefeitura de Londrina, participam em São Paulo da Conferência Internacional Empresas e Responsabilidade Social 2006. O evento, que ocorre de 19 a 22 deste mês, é coordenado pelo Instituto Ethos, em parceria com o Instituto Akatu pelo Consumo Consciente e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Segundo a antropóloga da Secretaria de Assistência Social e coordenadora do projeto, Marlene de Oliveira, o convite para participar da conferência partiu da Petrobrás, patrocinadora do evento e também do projeto Kre Kygfy. Durante o encontro, o artesanato produzido pelas mulheres da reserva do Apucaraninha fica exposto como representante dos projetos brasileiros.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Para Marlene, a participação do projeto na conferência é de extrema validade, já que dará mais visibilidade ao trabalho das artesãs indígenas.

Leia mais:

Imagem de destaque
'Arraiá chique'

Cinco lugares para garantir roupas, decorações e guloseimas para festa junina em Londrina

Imagem de destaque
Na próxima quinta (20)

Londrina tem trilha guiada aberta ao público no Parque Arthur Thomas

Imagem de destaque
Veja vídeo

Incêndio de grandes proporções atinge pátio de veículos da Polícia Civil na zona oeste de Londrina

Imagem de destaque
Violência contra a mulher

Filha de 10 anos denuncia pai por agressão à mãe na zona rural de Londrina


O projeto

Publicidade


O projeto Kre Kygfy teve início em 2005 e é uma iniciativa da Secretaria de Assistência Social e da organização não governamental Centro de Intervenção e Pesquisa em Saúde Indígena, em parceria com o curso de Desenho Industrial da Universidade do Norte do Paraná; Programa do Voluntariado do Paraná (Provopar) e Associação de Moradores da TI Apucaraninha.


A iniciativa conta com a participação de aproximadamente 30 mulheres e de alguns homens que colaboram na extração da matéria prima, encontrada na maioria das vezes em locais de difícil acesso. Cada objeto traz a certificação da marca do projeto e o nome da artesã que confeccionou o produto, o que contribui para o fortalecimento cultural e ambiental do grupo indígena, além de dar maior visibilidade e valor ao produto.

Para confeccionar as cestas, as mulheres do projeto Kre Kygfy utilizam como matéria prima diversas fibras e cores naturais como criciúma, cipó imbé, bambu, taquara, urucum, kó-mrur, guaimbé, entre outras."As cestarias Kaingáng revelam estilos e técnicas de trançados próprios que constituem grande riqueza para o acervo cultural da humanidade", ressaltou Marlene de Oliveira.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade