Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Caso grave

Médico de UPA é afastado após negar atestado para mãe cuidar do filho em Cambé

Pedro Marconi - Grupo Folha
21 mai 2024 às 13:10
- Divulgação/Prefeitura de Cambé
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Prefeitura de Cambé (Região Metropolitana de Londrina) determinou o afastamento de um médico que se negou a dar um atestado de acompanhante para uma mulher que estava com o filho de cinco anos doente e que procurou atendimento para a criança na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Silvia Mantovani. 


O caso aconteceu na noite de segunda-feira (20) e repercutiu nas redes sociais após a mãe gravar as falas do profissional de saúde.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


No vídeo, o médico questiona a mulher se o garoto “oferece algum risco, se ele tem alguma dificuldade nutricional”. A mãe então justifica que o menino está “queimando em febre” e que não tem como deixá-lo sozinho. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Relatório Anual

Brasil aumenta vacinação infantil em 2023, mas mundo ainda tem 2,7 milhões crianças não imunizadas

Imagem de destaque
homicídio

Homem de 36 anos é morto a tiros em conjunto habitacional de Apucarana

Imagem de destaque
9 mil crianças na espera

Curitiba tem fila em creches como pauta eleitoral e judicialização por falta de vaga

Imagem de destaque
Carteira Assinada

Agências do Trabalhador do Paraná iniciam a semana com 24,1 mil vagas, maior número do ano


“A senhora vai deixar ele em casa neste período (de atestado para a criança). Qual o risco de deixar ele em casa sozinho?”, dispara o profissional. “Ele tem cinco anos”, sentencia a mãe.

Publicidade


De acordo com o prefeito da cidade, que convocou uma coletiva de imprensa para falar sobre o caso, foi aberta uma sindicância para apurar a conduta do médico. 


“Ele foi afastado para preservar os pacientes e foi aberta uma sindicância. Também vamos notificar o CRM (Conselho Regional de Medicina). A informação que chegou foi de que o atendimento para a criança foi dentro dos protocolos, porém, ele começou a dar palpite na vida da pessoa. Como alguém aconselha uma mãe a deixar um filho de cinco anos sozinho? Isso é descabido”, classificou Conrado Scheller.

Publicidade



O profissional não é concursado, mas atua na unidade por meio de um contrato que o município tem com o Cismepar (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema). 


“O Cismepar foi notificado na segunda-feira que não queremos esse médico nos nossos quadros até que tudo seja esclarecido. Será dado o direito de resposta para o médico, para que dê a versão dele, apesar que a filmagem é muita clara sobre o posicionamento inadequado”, ponderou.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Médico é afastado após negar atestado para mãe cuidar do filho em Cambé
Vídeo com as falas do profissional que atende na UPA viralizou nas redes sociais e tem gerado críticas sobre a atitude
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade