Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
No Japão

Aumenta para 246 número de feridos em terremoto

Redação - Folha de Londrina
26 jul 2003 às 10:19
Continua depois da publicidade

Pelo menos 246 pessoas ficaram feridas na madrugada deste sábado no Norte do Japão, onde um violento tremor de 6,2 graus na escala Richter destruiu edifícios e causou cortes de energia e deslizamentos de terra, segundo dados da polícia local.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Dois tremores atingiram o arquipélago com poucas horas de intervalo. O primeiro terremoto afetou as regiões de Yamoto e Naruse, perto da prefeitura de Miyagui (350 km ao norte de Tóquio), pouco depois da meia-noite (horário local), provocando cortes de energia, interrompendo o trânsito de veículos e a circulação de trens. O segundo aconteceu por volta das 7h (horário local), no mesmo local. Seu epicentro foi localizado a 12 km abaixo do nível do mar.


Os tremores continuaram sacudindo a prefeitura de Miyagui, onde um forte tremor de 5,1 na escala Richter foi sentido às 10h22.


Fonte: France Presse


Segundo a prefeitura local, "ninguém parece estar em estado grave", e o número de feridos deve continuar aumentando nas próximas horas.

Continua depois da publicidade


De acordo com a rádio pública japonesa (NHK), 60 pessoas foram atendidas no hospital de Kanan, 50 em Yamoto, e 30 foram hospitalizas em Ishinomaki. Não foram registrados danos na central nuclear de Onagawa, na prefeitura de Miyagui, segundo a companhia de eletricidade Tohoku, citada por Kyodo. Apesar disso, cerca de 100 mil domicílios ficaram sem eletricidade.


A televisão nacional NHK afirmou que o número de feridos é de mais de 300, enquanto 830 pessoas tiveram que ser retiradas da região devido aos riscos de desabamento. Entretanto, autoridades municipais reconheceram que, levando-se em conta a grandeza do tremor, os danos não foram significativos.

Há dois meses, o Norte do Japão se viu afetado por um fortíssimo tremor de terra: 7 graus na escala Richter.


Compartilhar nas redes:

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade