Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Exploração

Itália desbarata grupo que levava travestis do Brasil

Redação Bonde
22 nov 2007 às 18:20
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Polícia Militar de Roma prendeu nesta semana três integrantes de uma quadrilha que obrigava transexuais brasileiros a trabalhar na via Palmiro Togliatti, conhecida rua de prostituição masculina da capital italiana.
Os três – um brasileiro e dois italianos – foram presos a partir de uma denúncia feita por um travesti brasileiro, que teria sido explorado pelo bando.

Com uma dívida de 12 mil euros – mais de R$ 31 mil –, valor cobrado aos travestis pelos "serviços" da quadrilha, o rapaz denunciou o grupo ao serviço social da Prefeitura de Roma, afirmando ser vítima de exploração.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Conforme informações do Núcleo Operativo dos Carabinieri da via In Selci, onde foram feitas as investigações, a quadrilha se dedicava ao recrutamento dos brasileiros e era responsável por colocá-los na rua.

Leia mais:

Imagem de destaque
Espanha, Malta, Alemanha...

Entenda como é o uso de drogas em países que foram além da descriminalização

Imagem de destaque
Arcebispo conservador

Vaticano excomunga arcebispo que chamou papa de 'servo de Satanás'

Imagem de destaque
Na inglaterra

Enfermeira é condenada pela 15ª vez à prisão perpétua por matar bebês prematuros

Imagem de destaque
No Colorado

Cachorro liga fogão acidentalmente e põe fogo em casa nos EUA; veja vídeo


"Era o brasileiro que organizava toda a operação de ingresso de seus conterrâneos na Itália", disse à BBC Brasil o major Lorenzo Sabatino, comandante do Núcleo dos Carabinieri.

Publicidade


"Depois de entrarem no país, viravam vítimas da prostituição de rua. Todos os transexuais eram obrigados a pagar o que recebiam diariamente para saldar o débito com a quadrilha."


De acordo com o major Sabatino, além dos três presos, também foram notificadas outras oito pessoas, responsáveis pelo alojamento, acompanhamento dos transexuais brasileiros ao local de prostituição e controle da atividade deles.

Publicidade


Expulsão - Nesses alojamentos, a Polícia romana notificou também 12 transexuais brasileiros. Oito receberam documento formal de expulsão e deverão deixar o país. Os quatro restantes foram presos por serem reincidentes.


Eles já tinham sido avisados que deveriam retornar ao Brasil por estarem ilegalmente na Itália, mas nunca cumpriram a ordem de expulsão.


A Polícia não sabe informar o número total de transexuais do Brasil que se prostituem nas ruas da capital italiana. Mas acredita que vários grupos estejam tirando proveito da situação de ilegalidade dos brasileiros na cidade para ganhar dinheiro.

Na Itália, é ilegal tirar proveito da prostituição. Quem ganha ilegalmente, explorando homens ou mulheres corre o risco de ser preso.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade