Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Sem previsão

Senado retira de pauta projeto sobre controle da Internet

Heloísa Prado - Bonde
07 nov 2006 às 19:52
PL prevê pena de dois a quatro anos de prisão para usuários e provedores que não fizerem essa identificação prévia - BBC Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Projeto de Lei Substitutiva 124/06, que está em tramitação na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado e previa uma maior regulamentação e controle sobre o acesso e conteúdo da Internet, foi retirado da pauta no final da tarde desta terça-feira (7). A proposta causou polêmica por restringir o acesso de usuários à rede, exigindo identificação prévia.

Segundo a assessoria da CCJ do Senado, não há previsão para que o projeto volte à pauta. Segundo o relator, não está descartada a possibilidade da convocação de uma audiência pública com setores da sociedade para discutir o projeto. O objetivo do adiamento seria o de possibilitar que senadores façam contribuições ao PL.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O projeto, cujo relator é o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), visa combater crimes na internet, como pedofilia e roubos de senhas bancárias, e prevê pena de dois a quatro anos de prisão para usuários e provedores de acesso que não fizerem essa identificação prévia.

Leia mais:

Imagem de destaque
Cantora francesa

Françoise Hardy pediu a Macron em carta a legalização da eutanásia

Imagem de destaque

Acordo evita que torcedores condenados por racismo contra de Vinicius Jr. sejam presos

Imagem de destaque
Em julho

Google vai testar 1° no Brasil bloqueio automático de tela de celular

Imagem de destaque
De Guarulhos

Gol anuncia voos diretos para a Costa Rica a partir de novembro


O PL tem como objetivo tornar obrigatória a identificação, com CPF e RG, para quem quiser usar serviços interativos, como enviar e receber e-mails, responder enquetes, participar de salas de bate-papo, ou baixar músicas e imagens.

Pelo texto, também seriam punidos os provedores de Internet, caso permitissem o acesso sem o cadastro prévio. Eles também seriam os responsáveis pela veracidade dos dados.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade