Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Estudo de aluno da UEL

Musculação pode diminuir sintomas de depressão em idosos, mostra pesquisa

Reportagem Local
30 mar 2024 às 13:00
- Reprodução/Canva
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Ex-aluno do Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEL/UEM (Universidade Estadual de Londrina e Universidade Estadual de Maringá), Paolo Cunha publicou recentemente artigo na revista Psychiatry Research, demonstrando que a prática do treinamento de força (musculação) pode provocar a diminuição dos sintomas de ansiedade e depressão em idosos.


As evidências foram construídas com base em mais de 200 artigos revisados sobre essa temática e somam-se aos já conhecidos benefícios do treinamento de força para a população idosa, tais como o ganho de força e massa muscular, redução da gordura corporal, melhoria da autonomia funcional e, consequentemente, diminuição no risco de quedas e fraturas, entre tantos outros. 

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Cunha atualmente faz pós-doutorado no Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Contrabando

Em Rolândia, PF e PM encontram drogas em veículo puxado por caminhão guincho

Imagem de destaque
Obituário

Falecimentos dos dias 19 e 20 de abril de 2024 em Londrina e região

Imagem de destaque
12P/Pons-Brooks

'Cometa do Diabo' poderá ser visto no Brasil neste domingo; veja dicas para observar

Imagem de destaque
Nova Friburgo

Professora grampeia bilhete em uniforme de criança de 5 anos no Rio


O professor do Departamento de Educação Física da UEL Edilson Serpeloni Cyrino, um dos colaboradores do estudo, ressalta que as informações publicadas são bastante promissoras para a prevenção e tratamento de doenças psiconeurológicas que afetam a saúde mental.

Publicidade


“Acreditamos que a prática do treinamento de força, junto com o aumento da interação social provocada por projetos envolvendo grupos de idosos, possa ser o grande diferencial para os resultados encontrados”, afirma o pesquisador, que é coordenador do Gepemene (Grupo de Estudo e Pesquisa em Metabolismo, Nutrição e Exercício), do Centro de Educação Física e Esporte da UEL e responsável pelo Active Aging Longitudinal Study.


A preservação de uma boa saúde mental é fundamental para um envelhecimento bem sucedido, uma vez que influencia a qualidade de vida, autonomia e longevidade. 


Nesse sentido, a prática de exercícios físicos em grupo ocupa um papel de destaque nesse processo, segundo o professor, pois se tratar de uma estratégia não farmacológica, com baixo risco de efeitos colaterais, eficaz, segura e que pode auxiliar na redução dos custos financeiros com consultas médicas, uso de medicamentos, internações e cirurgias de urgência.


Leia a reportagem completa na FOLHA DE LONDRINA:


Imagem
Musculação pode diminuir sintomas de depressão em idosos
Como o treinamento de força pode melhorar a saúde mental e física de idosos? Conheça o Active Aging Longitudinal Study, o principal estudo do mundo na área, desenvolvido na UEL. Novas vagas disponíveis em novembro!
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade