28/09/20
°/°
PUBLICIDADE
Vila A

Foz do Iguaçu terá o primeiro bairro inteligente do país

A Vila A será o primeiro bairro inteligente do país, localizada em Foz do Iguaçu. No Vila A, serão demonstradas e testadas soluções e intervenções tecnológicas que poderão ser monitoradas por meio de aplicativos customizados que permitem, inclusive, comunicação direta com os moradores.

Divulgação/Prefeitura de Foz do Iguaçu
Divulgação/Prefeitura de <a href='/tags/foz-do-iguacu/' rel='noreferrer' target='_blank'>Foz do Iguaçu</a>


O projeto Vila A Inteligente faz parte de um convênio firmado nesta terça-feira (28), entre ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), PTI (Parque Tecnológico Itaipu), Itaipu Binacional e prefeitura de Foz do Iguaçu.

Segundo o presidente da ABDI, Igor Calvet, o convênio envolve tecnologias nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana e iluminação pública. "As tecnologias integrarão cidadãos e instituições. Segurança e inteligência artificial serão áreas muito beneficiadas. A ABDI tem procurado popularizar tecnologias nos setores econômicos e para a população. Espero que esse projeto traga logo muitos resultados para o município de Foz do Iguaçu”, disse Calvet durante a cerimônia de assinatura do convênio.

PRIMEIRA FASE

Em outubro, deverão ser instalados os primeiros semáforos inteligentes no bairro, além de câmeras de reconhecimento facial e iluminação pública inteligente – com telegestão e regulação da intensidade de brilho. Algumas das luminárias inteligentes têm, inclusive, câmeras de reconhecimento facial. O Centro de Comando e Controle começa a ser instalado em agosto, informou à Agência Brasil o assessor especial da presidência da ABDI Tiago Faierstein.

Segundo Faierstein, a segunda fase do projeto, que terá início em dezembro, consiste na instalação de pontos de ônibus inteligentes (com telas de LED mostrando os horários, ponto de carga de celular e acessibilidade para cadeirantes) e de um aplicativo (APP) para que o cidadão possa interagir com todas as tecnologias disponíveis (inclusive com botão de pânico). Está prevista também a implantação de tecnologias que permitem o monitoramento de placas de veículos.

Faierstein informou que o bairro contará com quatro pontos de ônibus; quatro cruzamentos semafóricos inteligentes; 105 luminárias inteligentes; 120 câmeras de reconhecimento facial; cinco câmeras de reconhecimento de placas; cinco pontos de Wi-Fi gratuito e um centro de controle operacional com videowall (vários vídeos dispostos de forma conjunta). Está previsto ainda o desenvolvimento de um software.

SANDBOX

De acordo com a ABDI, a Vila A funcionará "de acordo com o conceito de sandbox - um ambiente específico para testes de tecnologias inovadoras”, conforme prevê decreto publicado no dia 25 pela prefeitura de Foz do Iguaçu, que regulamentou a instituição de ambientes experimentais de inovação científica, tecnológica e empreendedora no município, sob o formato de bancos de testes regulatórios.

Usado na área de tecnologia da informação, o termo sandbox corresponde a "ambiente isolado, específico para testes de uma aplicação, sem impacto em outras aplicações que estejam rodando no sistema”. Trata-se de uma espécie de "teste regulatório” que oferece a empresas inovadoras a possibilidade de operação, em condições e prazos determinados. Após o teste, os resultados e riscos são avaliados.

Segundo a ABDI – que destinará R$ 6 milhões para o projeto Vila A Inteligente, por meio de um convênio com o PTI nos próximos três anos –, o bairro receberá startups e empresas, por meio de editais públicos, para teste e desenvolvimento de tecnologias, "estimulando o empreendedorismo inovador”.

PARTICIPAÇÃO POPULAR

"O futuro começa a ser lançado, com integração tecnológica e capacidade de desenvolvimento de startups”, disse o vice-prefeito de Foz do Iguaçu, Newton Bobato. "E poderemos testar, em ambiente urbano, a efetividade dessas tecnologias”, complementou o diretor-superintendente do Parque Tecnológico de Itaipu, Eduardo Garrido.

Na cerimônia, o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Joaquim Silva de Luna, destacou que uma das características do projeto é possibilitar a participação das pessoas, no sentido de fazer sugestões para o aperfeiçoamento das tecnologias. "A grande ação da cidade inteligente é integrar coisas que existem. Os cidadãos poderão contribuir com indicações para melhorar esse processo”, disse Luna.
Agência Brasil
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Junto com esposa
Rafael Greca, prefeito de Curitiba, testa positivo para Covid-19
27 SET 2020 às 18h16
Período eleitoral
Campanha das eleições municipais inicia neste domingo; saiba o que pode e o que não pode
27 SET 2020 às 18h07
Eleições Municipais
Ibiporã tem crescimento de 150% no número de candidatos a vereador
27 SET 2020 às 16h19
Eleições Municipais
Confira lista completa de candidatos a vereador de Londrina
27 SET 2020 às 15h14
Obituário
Falecimentos dos dias 26 e 27 de setembro de 2020 em Londrina e região
27 SET 2020 às 12h55
565 buscam vaga
Londrina tem número recorde de candidatos a vereador
27 SET 2020 às 11h13
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados