Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade

Greve fecha postos do INSS no Paraná

Redação - Folha do Paraná
08 ago 2001 às 15:59
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Os servidores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) iniciaram uma greve por tempo indeterminado por reposição de 75,9% das perdas dos últimos sete anos, concurso público para a contratação de cerca de 10 mil funcionários em todo o Brasil e pela continuidade da Gratificação de Atividade Executiva (Gae) que rende 12,5% a mais nos salários.

"Esta deve ser uma das maiores greves na Previdência Social já ocorridas até hoje. Além de não termos reposição de perdas, estamos sofrendo com o corte de gratificações em nossos salários. É lamentável esta situação", afirmou o delegado sindical Paulo Tadeu Pereira, do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência Social. Apesar da afirmação do sindicalista, a informação oficial era a de que 25% das agências do Estado haviam aderido à greve.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


As longas filas no INSS foram questionadas pelos servidores federais. Em todo o Paraná são 1,6 mil funcionários distribuídos nas regionais de Curitiba, Londrina, Maringá, Ponta Grossa e Cascavel. Eles acreditam que a defasagem em número de atendentes chegue a 1,5 mil servidores.

Leia mais:

Imagem de destaque
Danos

IAT aplica R$ 40,2 milhões em multas por danos ambientais no 1º trimestre de 2024

Imagem de destaque
Assista ao vídeo

FAB intercepta aeronave com cocaína em Londrina; piloto é preso no interior de SP

Imagem de destaque
Entenda

Prefeitura de Cambé libera cruzamento da rua Presidente Nilo Peçanha com a PR-445

Imagem de destaque
Norte do PR

Após reforma, DER-PR libera ponte do Rio Vermelho, entre Porecatu e Alvorada do Sul


"Teríamos que dobrar o número de atendentes para evitar as filas que se formam em Curitiba, por exemplo. Temos pessoas que esperam entre seis e 12 horas para serem atendidas", protestou Nelson Malinowski, integrante da Associação dos Servidores da Previdência do Estado do Paraná. O INSS não realiza concurso público desde 1982.

Publicidade


Atualmente, o piso salarial de um médico do INSS é de R$ 700,00 e o teto máximo chega a R$ 1,5 mil. Os demais servidores têm pisos que variam entre R$ 500,00 e R$ 600,00.


Em Curitiba, os seis postos de atendimento ao beneficiário ficaram fechados por causa da greve dos servidores. Apenas as perícias médicas agendadas previamente foram atendidas. Os interessados em solicitação de salário-maternidade poderão acessar a Internet no site www.previdenciasocial.gov.br.

Publicidade


Os beneficiados que estiverem com o salário bloqueado poderão procurar a chefia dos postos, que estará disponível para o atendimento de casos considerados urgentes. As pessoas que não puderem realizar perícias médicas por causa da greve não serão prejudicadas. "Quem não fizer perícia por causa da greve, não terá o pagamento bloqueado", garantiu Malinowski.


Serão diretamente prejudicadas com a greve as pessoas que necessitarem solicitar aposentadoria por tempo de serviço, especiais, por idade, auxílio-doença, acidentes de trabalho e recolhimento de tributos. A movimentação diária de pessoas em cada agência de Curitiba e de Londrina é de 300 pessoas.

A assessoria de imprensa do INSS admitiu que a greve atingiu todos os postos de Curitiba. No interior, foram paralisados os atendimentos das agências de Londrina, Campo Mourão e Maringá. Do total de 40 agências no Estado, apenas 10 aderiram a greve.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade