Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
No Paraná

Vereador é preso por estupro de garota de 14 anos

Marilayde Costa - Redação Bonde
29 jun 2009 às 10:12
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Policiais militares prenderam na manhã desta segunda-feira (29) o vereador Vanderlei Roberto Silva, de Palmas, município distante 95 quilômetros de Pato Branco, no sudoeste do Paraná. O político foi denunciado ao Ministério Público por estupro de uma garota de 14 anos e o juiz Marcos Antônio da Cunha Araújo, determinou a prisão preventiva dele neste domingo (28).

De acordo com o portal Bem Paraná, Vanderlei Silva, mais conhecido por "Cabrito", foi denunciado no dia 22 pela Promotoria de Justiça de Palmas sob a acusação de que teria cometido estupro de uma estudante de 14 anos em um motel da cidade.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Uma mulher que também estaria envolvida no crime por ter atraído a garota para o motel também foi presa. A denúncia foi proposta pela promotora de Justiça, Danielle Garcez da Silva.

Leia mais:

Imagem de destaque
Em Campinas

Jô deixa cadeia após noite de prisão por atraso em pensão

Imagem de destaque
Não pode!

Defensoria Pública alerta: a instituição não realiza coleta de informações de usuários(as) fora de suas sedes ou espaços com identificação oficial

Imagem de destaque
Polícia penal

Feira de Saúde é realizada para mulheres custodiadas no Centro de Integração Social

Imagem de destaque
Aumento nas ocorrências

PRF flagra mais de 450 motoristas em excesso de velocidade por dia no Paraná em 2024


O crime teria ocorrido em outubro de 2008, quando a mulher convenceu a garota de acompanhá-la para uma oportunidade de emprego no motel. No local, a garota teria sido colocada num quarto com o vereador enquanto a mulher ficou aguardando-a do lado de fora no carro, ignorando os apelos de socorro da menina com o volume de som alto.


O estupro foi confirmado por laudo médico. O pedido de prisão preventiva do vereador foi solicitado sob a alegação de que por ter forte influência e poder aquisitivo elevado, o vereador poderia atrapalhar ou intimidar as testemunhas e dificultar a coleta de provas no caso.

O vereador e a mulher envolvida no crime foram encaminhados à Delegacia de Palmas.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade